Minas Gerais não terá neste sábado (16) um Dia D de vacinação contra o sarampo. A informação que circula nas redes sociais sobre a campanha é falsa, alertou a Secretaria de Estado de Saúde (SES). Conforme a pasta, não está prevista uma ação específica de combate à doença para os próximos dias.

"A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) esclarece que não está prevista campanha de vacinação contra sarampo ou dia D. A vacina indicada contra a doença é a Tríplice Viral, que também protege contra a rubéola e a caxumba", informou. 

No comunicado, a pasta também ressaltou que a vacina contra o sarampo faz parte do calendário de vacinas do Sistema Único de Saúde (SUS) e, por isso, está sempre disponível, gratuitamente, nos postos de saúde do Estado. "É importante lembrar que a única forma de prevenção é a vacina", destacou.

O sarampo é uma doença altamente contagiosa que causa febre e tosse persistente, além de irritação ocular, coriza, congestão nasal e mal-estar intenso. Depois destes primeiros sintomas, a doença provoca o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. São comuns, também, lesões muito dolorosas na boca. 

O último registro de sarampo contraído em Minas foi em 1999. Na época, conforme a SES, foram confirmados nove casos. Em 2013, dois moradores do Estado foram infectados, mas pegaram a doença na Flórida, nos Estados Unidos.

Confira abaixo um tira-dúvidas sobre a doença:

O que é o sarampo?
O sarampo é uma doença infecciosa aguda, viral, transmissível, extremamente contagiosa e muito comum na infância.

Transmissão
A transmissão ocorre diretamente, de pessoa a pessoa, geralmente por tosse, espirros, fala ou respiração, por isso a facilidade de contágio da doença. Além de secreções respiratórias ou da boca, também é possível se contaminar através da dispersão de gotículas com partículas virais no ar, que podem perdurar por tempo relativamente longo no ambiente, especialmente em locais fechados como escolas e clínicas. A doença é transmitida na fase em que a pessoa apresenta febre alta, mal-estar, coriza, irritação ocular, tosse e falta de apetite e dura até quatro dias após o aparecimento das manchas vermelhas.

Sintomas
Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza e congestão nasal e mal estar intenso. Após estes sintomas, há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. São comuns lesões muito dolorosas na boca. A doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte. As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

Como é o esquema vacinal?
- Crianças de 12 meses a menores de 5 anos de idade: uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses de idade (tetra viral).
- Crianças de 5 anos a 9 anos de idade que perderam a oportunidade de serem vacinadas anteriormente: duas doses da vacina tríplice 
- Adolescentes e adultos até 49 anos:
Pessoas de 10 a 29 anos  -  duas doses das vacina tríplice 
Pessoas de 30 a 49 anos  - uma dose da vacina tríplice viral

Quem comprovar a vacinação contra o sarampo conforme preconizado para sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente.

É possível pegar a doença através da vacinação?
A vacina é feita a partir do vírus enfraquecido e, por isso, o risco do vacinado ser infectado pela vacinação é inferior a 2%. O risco da pessoa não se imunizar e contrair a doença é muito maior do que deixar de se vacinar. A vacinação é altamente eficaz.

Gestantes podem tomar a vacina contra sarampo?
Não. As gestantes devem esperar até o pós-parto para proteger o recém-nascido de forma indireta, por meio da amamentação. Cada caso deve ser avaliado por um médico.

Tenho mais de 30 anos e não me vacinei ou perdi meu cartão de vacina. O que devo fazer?
Pessoas de até 29 anos que não apresentam nenhum registro de dose da vacina tríplice viral, é necessário que tomem 2 doses da vacina, com intervalo de no mínimo 30 dias entre uma dose ou outra. Já pessoas acima de 30 anos que não apresentam nenhum registro de dose da vacina, é necessário receber apenas uma dose da vacina. Procure a sala de vacina da unidade básica de saúde mais próxima, levando o seu cartão de vacinação e um documento. Lá sua situação vacinal será avaliada e atualizada conforme recomendações do calendário básico de vacinação.

Pessoas que já tiveram sarampo também precisam se vacinar?
Cada um contrai a doença apenas uma vez na vida. Logo, se há confirmação do diagnóstico para a doença a pessoa já estará imunizada para toda a vida.

Leia mais:
OMS amplia alerta de febre amarela no Brasil
Picadas de escorpião 'explodem' e Minas já registra 2.159 casos neste ano