É possível que alguns corpos levados pela lama em Brumadinho nunca mais sejam recuperados. Segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara, isso pode acontecer devido ao estado de decomposição e dificuldade de acesso. "Mas o objetivo é recuperar todos", disse. 

Ainda conforme o tenente, do ponto de vista técnico, não se exclui a possibilidade de localização de vítimas com vida. No entanto, ele também explica que, passadas 120 horas de uma tragédia como essa, a possibilidade tende a ser zero.

Mas a expectativa é que as buscas na área identificada como vestiário da Vale resultem na localização de mais corpos. Até o momento já foram encontrados três restos mortais na estrutura. 

Identificação 

Segundo o delegado de Polícia Civil Felipe Forjaz, a maioria das identificações foi realizada por exames de papiloscopia ou dados de arcada dentária. 

O delegado não deu informações sobre as investigações e oitivas realizadas nos últimos dias. Um posto de atendimento no bairro Parque da Cachoeira atenderá até 200 pessoas para confecção de carteiras de identidade. 

Mais máquinas para as buscas

Conforme o tenente Pedro Aihara, nesta segunda-feira (4) 15 máquinas pesadas, como escavadeiras, retroescavadeiras, pás e anfíbios estão sendo utilizadas para auxiliar as buscas. Até esse domingo (3), apenas cinco eram utilizadas.

Doações 

O tenente-coronel da Defesa Civil, Flávio Godinho, lembra que não existe mais a necessidade de doações. “O recebimento demanda uma logística grande. O governo agradece mas estão suspensas”, diz.

Leia mais:
Pesquisa revela: 65% dos brasileiros acham que a Vale deve perder a licença ambiental após acidente 
FGV: Ao menos 30% das notícias mais divulgadas de Brumadinho eram falsas
Sobe para 120 o número de corpos identificados pela Polícia Civil; confira a lista