Computadores, sanfonas, bengalas, saxofones. Parece difícil, mas tudo isso já foi esquecido no metrô de BH. Somente no ano passado, mais de 3.600 objetos foram encontrados por funcionários do posto de Perdidos e Achados da CBTU. Desse total, 556 itens foram devolvidos, o que significa que apenas 16% dos objetos esquecidos nos vagões foram recuperados.

Diariamente, mais de 200 mil pessoas utilizam as estações do metrô. Entre os artigos mais esquecidos estão documentos em geral e cartões do transporte coletivo. Os meses com maiores índices de perdas foram janeiro, setembro e outubro, com 323, 325 e 348 pertences, respectivamente.

Quem perder algum objeto no metrô pode procurá-lo no prédio da Sede da CBTU, na rua Januária, 181, bairro Floresta. O setor de Perdidos e Achados fica disponível de segunda a sexta, entre 8h e 12h, e 13h e 17h, exceto aos feriados. Também é possível fazer contato pelo telefone (31) 3250-4231.

Os objetos perdidos que não são procurados podem ser doados a instituições de caridade ao final de cada mês. Já as carteiras de identidade, de trabalho e CNH são guardadas e, após um mês, encaminhadas aos seus órgãos de origem.

Leia mais:

Drones aumentam e riscos decolam no Estado
Metrô de BH estraga, passageiro passa mal e 100 usuários têm que andar pelos trilhos