Bastou a bateria se agrupar à frente do trio elétrico, na Praça da Pampulha, para os vocalistas do Beiço do Wando pedirem a atenção do público para um alerta. Um spot gravado chamava atenção para casos de assédio sexual e violência.

Assim como o bloco, vários que desfilam pela capital têm endossado a campanha do "Não é Não" e outras várias que combatem a violência feminina e contra o público LGBT. "Isso é um alerta! É preciso dar atenção!", disse um dos vocalistas. 

A professora Magda Vasconcelos, de 59 anos, aprovou a iniciativa. "Os blocos de BH estão de parabéns por promover essas campanhas de uma festa respeitosa. A tendência é de que o Carnaval cresça cada vez e precisamos incentivar isso sempre", disse. 

Nesse sábado (10), um dos maiores blocos do Carnaval de BH, o Então, Brilha! também fez a mesma chamada. "O Carnaval é de todos!", disse a vocalista Michele Andreazzi. 

O 'Não é não' foi lançado antes da folia de BH pra combater casos de assédio. 

O bloco

O 'Beiço do Wando' está no terceiro desfile e pela primeira vez ocupa a região da Pampulha. O bloco que homenageia o cantor Wando, que faleceu há seis anos, tem repertório brega e arrasta multidões. A expectativa do bloco era de reunir 10 mil pessoas no cortejo deste ano. A estimativa de público ainda não foi divulgada.

Leia mais:

Fora da Zona Sul: Beiço do Wando desfila na Pampulha, neste domingo