Celebrado neste sábado, 25 de novembro, o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue serve de lembrete para a importância do ato de compaixão, solidariedade e cidadania. Em Belo Horizonte, estoques de quatro tipos sanguíneos, incluindo o O negativo, que é doador universal, estão abaixo do patamar estratégico. A margem estabelece a quantidade considerada segura para realizar os atendimentos médicos em que são necessárias cirurgias.

De acordo com a Fundação Hemominas, o tipo O negativo estava, até a última sexta-feira (24), quase 60% abaixo do nível satisfatório. Da mesma forma, O positivo, B negativo e AB negativo apresentavam estoques 39%, 16% e 19% inferiores ao patamar estabelecido como margem de segurança, respectivamente.

A unidade da capital mineira presta atendimento a instituições de saúde de todo o estado, daí a importância de abastecer os estoques.

Para doar

Preferencialmente realizada após agendamento, a doação de sangue é um procedimento simples e praticamente indolor. O candidato, que deve ter entre 16 e 69 anos e pesar pelo menos 50 quilos, é entrevistado por um profissional de saúde, que faz perguntas de caráter pessoal e íntimo. Se aprovado na triagem, o paciente é encaminhado para a sala de coleta onde é feita a doação. 

Pessoas com 60 anos ou mais, no entanto, precisam ter realizado pelo menos uma doação antes de completar a sexta década de vida. Além disso, independentemente do sexo, elas devem respeitar o intervalo mínimo de seis meses entre as doações.

No caso das mulheres, o período entre uma doação e outra não pode ser inferior a 90 dias. Já os homens, exceto os que passaram dos 60 anos, podem doar a cada 2 meses.

Agendamento

Os agendamentos podem ser feitos pelo site do Hemominas, pelo 155 na opção 8 ou ainda pelo aplicativo MG App. As doações também podem ser realizadas, aos sábados, sem agendamento prévio. O atendimento no Hemominas de BH acontece de segunda-feira a sábado. 

Todas as informações sobre doação estão no site da instituição.