Foi afastado das suas funções o professor universitário portador do vírus HIV que se cortou nas dependências da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), no Campus de João Monlevade, região Central de Minas. Alunos do Departamento de Engenharia de Produção (DEENP), do Instituto de Ciências Exatas e Aplicadas (ICEA), filmaram o docente espalhando sangue em diversos móveis da universidade. 

A instituição não quis entrar em detalhes sobre o caso, mas informou que já foram tomadas todas as providências para que o professor faça um tratamento psiquiátrico. A UFOP se limitou a informar que o professor trabalha há vários anos na instituição e que já fazia acompanhamento médico para tratar a doença. 
 
O surto do professor Gilbert Cardoso Bouyer ocorreu na noite de quinta-feira (27). Alunos da instituição contaram que ele entrou em um dos banheiros femininos, onde cortou os braços e o pescoço. Pouco tempo depois deixou o local transtornado, com a camisa aberta. Gritando bastante, ele começou a espalhar sangue pelos móveis.
 
Depois de algum tempo, Bouyer caiu no gramado e foi socorrido pelo Serviço Voluntário de Resgate (Sevor) e levado para o Hospital Margarida, em João Monlevade.
 
Em seu perfil na rede social Facebook, o professor apresenta comportamento conturbado. Ele disse que depois de descobrir ser portador do vírus HIV começou a fumar três maços de cigarro por dia e ingerir vodka para acelerar sua morte. Em um dos post, Bouyer contou que se recusa tomar os coqueteis para o tratamento da doença.