O Estado investirá R$ 5 milhões na recuperação da Fazenda Boa Esperança, imóvel que faz parte do patrimônio estadual e que fica localizado em Belo Vale, região Central de Minas.

Conforme o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG), vão ser repassados R$ 2.339.909,55 para restauração da fazenda. Outro R$ 1,6 milhão já foi usado, em 2015, na recuperação da capela e obras emergências da edificação.

Nesta nova fase, de acordo com o Iepha, serão executadas obras de restauração arquitetônica e de instalações complementares da sede da Fazenda para garantir a preservação e integridade física do bem.

Além disso está em andamento o Refazenda, ação conjunta com o Instituto Inhotim que contempla ações integradas para a ocupação do local. A expectativa é de que, após a conclusão das obras, a Fazenda Boa Esperança esteja com infraestrutura adequada para receber visitantes do Estado e do país.

Patrimônio cultural

A edificação da casa sede da Fazenda Boa Esperança possui proteção por tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1959, e pelo Iepha-MG, em 1975.

A Fazenda Boa Esperança é um dos mais conhecidos exemplares da arquitetura rural mineira. A propriedade ainda chegou a abrigar mais de 800 escravos.

A casa da fazenda foi construída em estrutura autônoma de madeira sobre fundações de pedra, com vedações em pau-a-pique e forros em esteiras de taquara. Sua varanda abriga uma capela, cujo padroeiro é o Senhor dos Passos, com retábulo que preserva trabalhos ornamentais apurados em talha e pinturas com características do estilo rococó. 

Teto e paredes da capela são revestidos por painéis cuja pintura é atribuída a João Nepomuceno, discípulo de mestre Ataíde, e que representam cenas do Evangelho, como a Anunciação de Nossa Senhora, a Adoração dos Pastores, o Sacrifício de Isaac e a Santa Ceia.