Os cofres públicos de Belo Horizonte serão ressarcidos em R$13 milhões pelas empresas Consol e Cowan, responsáveis pela elaboração e execução das obras do Viaduto Batalha dos Guararapes, que desabou em julho de 2014. 

O valor foi estipulado após conclusão de procedimento aberto pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e será assegurado com a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a Prefeitura Municipal e as empresas envolvidas no acidente. O documento deverá ser assinado ainda neste mês.

A Consol, responsável pela elaboração do projeto do viaduto, arcará com cerca de R$230 mil. A Cowan, que tratou da construção da estrutura, pagará o restante da fatia. A data do pagamento ainda não foi determinada pelo MPMG, mas o órgão não descarta a possibilidade de estipular um prazo para o ressarcimento.

A queda do Viaduto Batalha dos Guararapes, que neste domingo (3) completa dois anos, provocou a morte de duas pessoas e deixou outras 23 feridas. Ao todo, 11 pessoas foram denunciadas pela Justiça, entre elas funcionários da Cowan, Consol e da Prefeitura.

Leia mais:
MP investiga mais problemas na obra da Pedro I denunciados por moradores da região
Cowan e Consol terão que devolver R$ 12 milhões gastos com a construção do Batalha dos Guararapes