Os moradores de Viçosa, na Zona da Mata, precisarão economizar água a partir desta terça-feira (17). a cidade passará por racionamento e escalonamento da distribuição de água na cidade em razão da crise hídrica.

Em função disso, cada bairro terá o abastecimento suspenso por 24 horas na semana e o fornecimento passará a ser fracionado em dois dias na semana por 12 horas.

Além disso, desde 2015 a cidade conta com ações para tentar amenizar o coprometimento no abastecimento, como multas por desperdício, o racionamento que já foi utilizado em outros momentos, campanhas educacionais, cancelamento de festas e ventos e outras.

A Universidade Federal de Viçosa também vem adotando medidas para diminuir o impacto da instituição no consumo hídrico na cidade, e vem diminuindo o horário de funcionamento de alguns prédios no campus, racionamento interno e medidas de redução de consumo. Além dissol, o engenheiro Ambiental da Divisão de Água e Esgoto da UFV, João Pimenta, destacou que alguns desafios terão que ser vencidos, como aumentar a infiltração da água das chuvas no solo - um déficit do município, reforçar a ideia da reutilização d’água nas residências e construções e efetivar grupos de trabalho entre SAAE e UFV.

Por meio de nota, o secretário municipal de governo, Luciano Piovesan, "assegurou que as pessoas que moram nas zonas rurais merecem uma atenção maior. Segundo ele, 7% da população do município reside em zonas rurais, num espaço geográfico de 92, e, 93% dos moradores, habitam os 8% restantes da área urbana de Viçosa. Piovesan defendeu que os agricultores devem ser amparados e remunerados por serem eles os “produtores” da água que vai abastece o município. 'Precisamos incentivar a construção de barraginhas, manejo de nascentes, dentre outras ações, mas precisamos ajudar esse produtor".