Moradores da região da Savassi e do Funcionários ficaram apreensivos com o barulho de bombas que ocorreram durante a madrugada desta terça-feira (9). De acordo com a Polícia Militar (PM), uma ação ocorreu para dispersas alguns grupos específicos que estavam nas esquinas das avenidas Getúlio Vargas com Afonso Pena. Os militares afirmam que só agiram quando o número de reclamação de alguns moradores locais foi significativo.

Segundo o capitão Santiago, a partir das 20 horas, as marchinhas começaram a ser substituídas por veículos particulares com som alto, na maioria das vezes com ritmos de funk. "O perfil do público também começou a mudar e, logo, começamos a atender alguns tumultos e intensificamos o policiamento no local", conta o militar.

Ainda segundo a PM, as reclamações de moradores foram se tornando cada vez mais frequente, então, a polícia pediu que a música fosse desligada a partir de determinado horário. A medida não agradou a algumas pessoas na multidão, que responderam de forma agressiva, com ataques de garrafas e pedras, conforme informação da Polícia Militar.

"Não sendo possível identificar na multidão um ou outro que reagiram à ordem de retomar a paz no local, foi necessário o uso diferenciado da força, com instrumentos de menor potencial ofensivo, como bombas de efeito moral", explicou o capitão.