Centenas de pessoas estão no Mercado Distrital do Cruzeiro, na noite desta sexta-feira (22), para conferir a penúltima etapa do concurso de Marchinhas Mestre Jonas, que neste ano chega à 5a edição. De 15 músicas pré-selecionadas, apenas dez serão escolhidas para a final da competição, que será realizada no próximo sábado (30 de janeiro).

A responsabilidade de selecionar as melhores canções é de um grupo de jurados, que avaliará a letra, melodia e performance nos palcos.

O resultado só será divulgado por volta da meia-noite. Mas os músicos Marcos Frederico e Vitor Velloso estão quase certos da classificação. O otimismo tem motivo: ambos são veteranos no concurso e já compuseram letras que fizeram sucesso em carnavais passados.

Além disso, o vídeo "Não enche o saco do Chico", marchinha criada para a folia de 2016, bomba na internet. "Criamos a letra por whatsapp porque eu estava em São Paulo. A composição é uma defesa ao Chico Buarque, que foi hostilizado por jovens contrários ao PT. Alcançamos mais de um milhão de visualizações no youtube", conta Vitor.

Mas nem só de veteranos é feito o Baile de Marchinhas Mestre Jonas. Gledson Galiza e Marcelo Sarkis participam do concurso pela primeira vez, com a música "Eu Rio". "A letra é uma ironia aos dessabores da vida", explica o compositor Marcelo.

Eles sabem que a competição será disputada. Os concorrentes, na avaliação deles, são fortes. No entanto, Marcelo garante que está mais preocupado em se divertir do que com a premiação.