Completando 118 anos de história neste sábado (12), BH coleciona muitos avanços e melhorias conquistados ao longo das últimas décadas. Por outro lado, algumas carências ainda não foram supridas e continuam demandando atenção especial do poder público e da população.

Nesta edição especial de aniversário da capital mineira, o Hoje em Dia convidou algumas personalidades e especialistas a indicarem os principais pontos positivos e negativos da cidade sob a perspectiva profissional de cada um.

No que diz respeito ao transporte, o Move, inaugurado no início do ano passado, é citado na maioria dos depoimentos e divide opiniões. A mobilidade urbana se destaca entre as áreas que, na avaliação das pessoas, necessitam de novos projetos e de soluções a curto prazo.

Ao prefeito Marcio Lacerda, o Hoje em Dia perguntou:

O que o senhor conseguiu realizar que te dá mais orgulho?

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas nos últimos anos, em consequência da crise econômica, nossa gestão tem sido marcada por muitas conquistas e realizações que nos trazem orgulho, alegria e a certeza de que estamos no caminho certo na construção de uma cidade com melhor qualidade de vida para todos. Entre estas conquistas, destaco o avanço na educação com a expansão das Umeis (Unidades Municipais de Ensino Infantil). Eram 40 no início da nossa gestão e conseguiremos chegar a 130 até o começo do próximo ano, oferecendo ensino de qualidade para nossas crianças. Na área da Saúde, estamos inaugurando a primeira etapa do Hospital Metropolitano do Barreiro, o primeiro construído pelo município e entregue à população em 70 anos. Ele é 100% SUS, de acesso universal e gratuito. É um dos hospitais mais modernos do país. Também quero destacar, na área de mobilidade urbana, a implantação do sistema Move, que hoje atende a mais de meio milhão de usuários e tem aprovação de cerca de 80% da população da capital mineira.

 

Marcio Lacerda

O que o senhor gostaria de ter feito e não conseguiu?

Sobre o que não fizemos e gostaríamos de ter feito eu cito a despoluição da Lagoa da Pampulha. Mas é importante ressaltar que estamos a caminho desta conquista. Foi concluída a fase do desassoreamento e já está definida para contratação da empresa que ficará responsável pela recuperação da qualidade da água. A tecnologia a ser utilizada pelo Consórcio Pampulha Viva vai reequilibrar o ambiente aquático em um prazo definido em contrato e tenho a certeza que em 2016 Belo Horizonte estará comemorando a escolha do Conjunto Moderno da Pampulha como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Serginho

Líbero do Sada Cruzeiro, bi-campeão mundial e seis vezes campeão da Superliga


"Acho que para BH ser perfeita, só falta o mar. Nasci aqui e gosto muito da cidade, onde escolhi para morar. Não tenho um ponto fixo de preferência em Belo Horizonte, gosto de vários lugares. Coisas pontuais precisam melhorar, algumas com incentivo do poder público. Mas uma bem importante, que está ao alcance de todos, é colaborar com o trânsito, não fechando os cruzamentos. É algo fácil, que todo mundo pode fazer. É básico e vai melhorar a vida de todos”.

Serginho

Guilherme Leiva

Coordenador do departamento de Engenharia de Transportes do Cefet-MG


“Um ponto positivo em relação ao transporte e ao trânsito é que o belo-horizontino passou a entendê-los e a utilizá-los bem por meio do Move. A melhoria do transporte público, iniciada com esse sistema, é o ponto de destaque dos últimos anos. O ponto negativo é que ainda faltam investimentos para aprimorar a infraestrutura viária de BH. Um exemplo é a criação do Rodoanel, para melhorar a circulação de veículos e tirar o trânsito de carga de dentro da cidade”.

Jacques Lazzarotto

Professsor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Fumec

 
“Do ponto de vista urbano, acho que tem algumas coisas que faltam na cidade. O transporte público, por exemplo, é muito precário. O Move facilitou algumas conexões, mas no geral o sistema apresenta deficiências. Dentre os pontos positivos, mesmo com todas as críticas, destaco a arborização. A ambientação da cidade é muito boa, conta com elementos de paisagismo e grandes praças centrais. É até controverso dizer isso diante dos problemas da cidade, mas BH tem uma qualidade de vida boa”

Jacques Lazzarotto

Perguntas ao governador Fernando Pimentel

O que o senhor considera que há de bom na cidade?


Ter sido prefeito de Belo Horizonte foi uma das minhas maiores alegrias na vida pública. Pudemos realizar uma série de iniciativas que foram decisivas para a qualidade de vida da população, como a revitalização da área central, a criação das Umeis, a continuação da avenida Pedro II e a criação do Centro de Especialidades Médicas (CEM), além de ampliar o Orçamento Participativo. Acredito que tudo isso tenha contribuído para que BH seja considerada hoje uma das melhores cidades do Brasil, com um povo valoroso e acolhedor, uma gastronomia mundialmente reconhecida e uma área cultural cada vez mais rica.

Pimentel

E o que precisa melhorar?

Tudo sempre pode melhorar, mas temos que ter um olhar especial sobre o transporte público e a segurança, além de planejar cuidadosamente a expansão da cidade, para que ela cresça de forma ordenada e sempre com qualidade de vida.