Um refúgio da natureza a apenas 23 quilômetros de Belo Horizonte. É assim a Mata do Jambreiro, Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da mineradora Vale, que a partir desta terça-feira (13) poderá receber qualquer interessado em conhecer os 912 hectares de mata preservada. Até o momento, era possível apenas agendar visitas em grupos, como de escolas e outras instituições.

A área, que equivale a cerca de mil campos de campos de futebol, está localizada no município de Nova Lima, na Grande BH. A reserva mescla vegetação da Mata Atlântica e do Cerrado Mineiro. Lá, é possível encontrar espécies da flora ameaçadas de extinção, como a Samanbaiaçu, comercializada como xaxim, raiz que serve de vaso para outras plantas.

“É uma espécie da época dos dinossauros. Sobreviveu ao meteoro, mas não a ação do homem”, explicou uma das guias da reserva, Camila Matias.

Rios e trilhas
Na área preservada, passam dois córregos, o dos Carrapatos, que tem águas poluídas por condomínios residencias próximos, e o das Águas Claras, que é cristalino e tem nascente dentro da reserva.

O Águas Claras acompanha a trajetória de uma das principais trilhas do local, que leva o mesmo nome do córrego. O percurso é de 1,1 quilômetro, com subidas íngremes e belas paisagens. Ao longo do caminho, o visitante conhece um pouco mais sobre a história da reserva e as espécies que ali vivem.

A outra trilha, apesar de ser apenas um pouco maior, tem 1,3 quilômetros, requer um pouco mais de esforço físico. Isso porque é preciso ir e voltar, totalizando 2,6 quilômetros. Um pouco depois do local é possível ver a Mina de Águas Claras, desativada em 2001, com o fim da extração do minério na região.

Espaços educacionais
A reserva abriga o Centro de Proteção e Educação Ambiental da Mata do Jambreiro (CPEA), criado pela empresa. O centro já recebeu mais de 10 mil visitantes de 20 escolas da região. Nas visitas guiadas, além das trilhas ecológicas, os visitantes conhecem os diversos espaços criados para promoção de atividades de educação ambiental. Um deles é a Sala Verde, que conta com amostras de insetos, borboletas e sementes da região. Há ainda material didático para consulta.

Existe ainda a opção de se fazer um passeio pelo Jardim Sensorial, que abriga plantas medicinais e ornamentais, e pelo orquidário.

Serviço
As visitas guiadas podem ser agendadas de segunda a sexta, entre 8h e 15h, pelo telefone (31) 9663-5264