Cinco pessoas foram presas e dois veículos foram apreendidos na manhã desta quarta-feira (9), nas cidades de Ribeirão das Neves, Contagem e Nova Lima, na Grande BH, durante a Operação Longa Manus, que investiga a morte de um policial militar no mês passado. Mandados de busca e apreensão também foram cumpridos na ação.

Charles Coelho de Souza Júnior, 26 anos, foi morto no dia 11 de agosto no bairro Maria Helena, na região de Venda Nova, em Belo Horizonte, e a suspeita é que ele tenha sido vítima de latrocínio, roubo seguido de morte.

Carros e dinheiro

Ainda durante operação, foram apreendidos dois carros, comprovantes de depósito bancário e mais de cinco mil reais em dinheiro, valor que estava escondido em um pote de ração, na casa de um dos suspeitos. Outros quatro homens, apontados como os executores do soldado Charles, continuam foragidos.

O crime

No dia do crime, os suspeitos estavam de carro e se aproximaram do local onde estava o veículo do soldado, sem saber que o ocupante era um policial militar. Eles tinham a intenção de roubar um veículo com as mesmas características do automóvel da vítima.

Durante a abordagem, Charles não apresentou reação, em princípio. Acreditando, porém, que poderia reverter a situação, ele resolveu tentar evitar o assalto, mas acabou sendo baleado. Antes de fugir, os suspeitos ainda roubaram a arma do policial, uma pistola 380, que não localizada. A Polícia Civil acredita que houve uma falha de planejamento por parte do grupo, que geralmente escolhia como vítima mulheres ou homens de porte físico mais frágil, o que não condizia com as características do soldado.

A operação ganhou o nome de “Longa Manus” por se tratar de uma expressão que designa o executor de ordens, utilizada na maioria das vezes em referência ao oficial de Justiça.