Faltando cinco dias para o retorno das aulas, a maior universidade federal do Estado, a UFMG, ainda não definiu os rumos do segundo semestre. No entanto, e-mails internos dão conta de que aulas e matrículas serão adiadas. A UFMG tem 33.242 estudantes matriculados nos cursos de graduação presenciais e à distância.

As mensagens trocadas via correio eletrônico entre coordenadores de cursos sugerem as novas datas do calendário. Segundo esses textos, as matrículas devem ocorrer entre os dias 15 e 18 de agosto, e o retorno às aulas provavelmente entre os dias 23 de agosto e 9 de setembro.

A assessoria de comunicação da universidade não confirmou a suspensão das aulas e disse que uma decisão será tomada até esta sexta-feira (31), em reunião do conselho universitário. As suspensões das aulas na UFJF, de Juiz de Fora, na Ufop, de Ouro Preto, e na UFVJM, dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, já foram confirmadas pelas reitorias das universidades.

Os servidores técnico-administrativos das universidades federais de Minas Gerais estão há 63 dias de braços cruzados. Com cerca de 65% de adesão, a categoria reivindica aumento salarial, fim dos cortes no orçamento da educação, extinção do fator previdenciário e melhores condições de trabalho.