A tradição de alimentar pombos nas praças pode trazer problemas para os moradores de Juiz de Fora. Uma lei municipal, que proíbe a prática em quaisquer espaços públicos da cidade, entrou em vigor na última quarta-feira (24).

De acordo com a publicação, quem for pego alimentando os animais em locais como calçadas, praças, parques e prédios públicos, receberá uma advertência e, em caso de reincidência, uma multa de R$200.

Para o veterinário responsável pelo setor de Zoonoses, da Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, José Geraldo de Castro, a aprovação da nova regra é um ganho para a população em termos de saúde pública. "Os pombos são potenciais transmissores de doenças para o ser humano. As pessoas devem evitar o contato com as fezes destes animais, que pode acontecer por meio da ingestão de alimentos, água e até por aspiração em lugares fechados", advertiu.

Segundo ele, a justificativa para a criação da lei é que a reprodução de qualquer praga é proporcional à oferta de alimentos. "Um trabalho educativo com os moradores seria a melhor saída para impedir que a população deste tipo de ave aumentasse muito. Entretanto, a simbologia que envolve o pombo, especialmente ligada à paz, dificulta esta conscientização", ressaltou.

A Secretaria de Atividades Urbanas, responsável pela fiscalização, afirmou que a supervisão do cumprimento da nova lei será incorporada à função de fiscais municipais. Regulamentações da legislação estão sendo analisadas pelo setor jurídico da Prefeitura.