A Fhemig vai instalar um novo tomógrafo no Hospital Júlia Kubitschek (HJK). O equipamento Aquilion CXL, com 128 cortes, é um dos mais modernos existentes no mundo e é avaliado em R$ 1,6 milhão. O aparelho oferece rapidez com qualidade de imagem na realização de exames, o que, associado ao pronto diagnóstico, facilita a intervenção médica.
 
Com a instalação do novo tomógrafo, a previsão é de que o HJK realize uma média de 350 exames por mês, contemplando pacientes internados nas clínicas de Pneumologia, Tisiologia, Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Maternidade, Neonatologia, Terapia Intensiva, Unidade de Emergência e Cirurgia Torácica. 
 
Além dos pacientes internados na unidade, o Serviço de Tomografia Computadorizada do HJK atende exames contratualizados com o Sistema Único de Saúde (SUS), demarcação para radioterapia do Hospital Alberto Cavalcanti e solicitações de outros hospitais da Fhemig.
 
Para o diretor do hospital, Antonio Carlos Cioffi, a instalação do novo equipamento – que substituirá um tomógrafo antigo cuja vida útil chegou ao fim – impactará de forma positiva na assistência ao usuário, uma vez que possibilitará diversos benefícios, como a redução da média de permanência do paciente na unidade, otimizando a rotatividade dos leitos hospitalares.
 
“Além disso, iremos reduzir os custos com os exames realizados externamente. Assim, os recursos humanos, financeiros e de equipamentos economizados poderão ser utilizados de forma a melhorar e ampliar nossa capacidade assistencial”, afirma o diretor.
 
A previsão é de que o novo aparelho já esteja em funcionamento em um período entre 30 e 45 dias. A tomografia computadorizada é de extrema importância na assistência à saúde, uma vez que permite o diagnóstico de muitas doenças, a avaliação de sua gravidade e orientação a procedimentos terapêuticos invasivos.
 
A tomografia computadorizada também é imprescindível no atendimento à urgência e emergência, como em condições traumáticas, doenças inflamatórias, em processos vasculares do sistema nervoso central, cálculos ureterais obstrutivos entre outras situações. Dessa forma, o novo tomógrafo do Hospital Júlia Kubitschek irá viabilizar o diagnóstico precoce e condutas terapêuticas assertivas.