Um falsificador de documentos que atendia em todo o Estado foi preso pela Polícia Civil, em Betim, na Região Metropolitano de Belo Horizonte. Maurício Felipe Tavares Silva, de 33 anos, foi preso na tarde desta quarta-feira (18) e apresentado nesta quinta-feira (19). Ele fraudava desde atestados de conclusão de Ensino Médio até Carteira de Trabalho e CNHs.
 
Segundo a delegada Cristiane Floriano, da 2º Delegacia Regional de Polícia Civil de Betim, a investigação começou no início da última semana. Cartórios da cidade denunciaram pessoas tentando autenticar documentos com suspeita de fraude. Por meio destes indivíduos, os investigadores conseguiram chegar até o nome de Maurício Silva.

O suspeito foi preso em uma agência dos Correios, em Betim, quando se preparava para postar documentos falsos para clientes no interior de Minas. Maurício confessou o crime. Na casa dele e em um apartamento, em Juatuba, na Grande BH, os policiais encontraram uma grande quantidade de outros documentos falsos e material para produzir as fraudes, como produtos químicos e aparelhos de informática.
 
Os policiais civis descobriram inclusive que o suspeito chegava a pegar documentos autênticos, apagar os dados verdadeiros e inserir outros nomes e informações. Segundo a delegada, Maurício também fraudava CNHs, CLRVs, carteiras de trabalho, atestados médicos, selos de cartórios, diplomas, entre outros documentos.
 
“Ele afirmou que cobrava entre R$ 100 e R$ 300. Se houvesse um intermediador, o valor podia subir. Para um leigo, a falsificação passava desapercebidamente. Acreditamos que há mais pessoas envolvidas. O nome das pessoas que estavam nos documentos falsos que encontramos serão chamadas para depor. A investigação continua”, informou a delegada Cristiane Floriano.
 
Maurício afirmou que agia sozinho e não quis informar se contava com ajuda de mais algum outro comparsa. Ele já tinha passagem pelo crime de estelionato, em 2012. O suspeito está à disposição da Justiça no Ceresp de Betim e responderá por estelionato, falsificação de documento, de sinal público e falsidade ideológica.