A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) quer fechar o cerco e aumentar a punição contra os sujões. A intenção do Executivo é criar uma Delegacia Especializada em Crimes Ambientais Urbanos. A ideia, segundo o prefeito Marcio Lacerda, foi levada para apreciação o governador Fernando Pimentel.
 
Conforme o chefe do Executivo, a intenção do espaço é combater a ação de pichadores e de pessoas que jogam lixo em córregos e fazem descarte clandestino de resíduos. Entre os projetos estão a implantação de "uma van, uma central de vigilância, em que você coloca 20 câmeras sem fio em uma região. Isso vai nos permitir prender muita gente em flagrante", detalhou Lacerda.
 
De acordo com ele, a Polícia Civil e a PBH já têm o cadastro de mais de 300 pichadores, "o que precisa é que eles tenham uma sentença rápida, de trabalho comunitário pesado", disse.
 
Manifestação
 
Durante breve coletiva na manhã desta segunda-feira (9), Lacerda contou, ainda, que a Polícia Militar garantiu que não irá tolerar fechamentos de ruas durante manifestações. "Será permitido, naturalmente, manifestação, mas respeitando o direito de ir e vir das pessoas. Ou seja, se tem três faixas, ocupa uma faixa e deixa duas em aberto". 
 
Para o próximo domingo (15), internautas estão convocando pelas redes sociais protesto para pedir o impeachement da presidente Dilma Rousseff (PT). A concentração está marcada para acontecer na Praça da Liberdade, a partir das 10 horas.
 
Hospital do Barreiro
 
Em conversa com jornalistas, o prefeito confirmou, também, que o Hospital do Barreiro não ficará pronto em abril deste ano, prazo inicialmente estipulado. No próximo mês, conforme o chefe do executivo, somente o Pronto-Socorro estará apto para atendimento. "A previsão para que seja concluído 100% pronto e equipado para o fim deste ano". 
 
Segundo Lacerda, "o município não consegue sozinho operar um hospital que é metropolitano", por isso a verba do Governo Federal é aguardada para conclusão das obras.
 
*Com informações de Letícia Alves