Pela primeira vez, o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG) e o Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte estarão sob o comando de mulheres. A delegada geral Andrea Vacchiano assume o órgão de trânsito e a médica legista Lena Tereza de Melo Lapertosa é a nova titular do IML. A mudança ocorre às vésperas do Dia Internacional da Mulher, comemorado no próximo domingo (8).
 
Quando assumir oficialmente a direção do Detran/MG, no próximo dia 11, a delegada geral Andréa Vacchiano se tornará a principal autoridade de trânsito do Estado. Já Lena Lapertosa, nomeada para a direção do IML no final de fevereiro, era a chefe da Seção de Perícias há cinco anos. 
 
Para o chefe da Polícia Civil, delegado-geral Wanderson Gomes da Silva, as duas novas diretoras são exemplos da competência das mulheres. “Entre policiais e servidores administrativos temos cerca de 12 mil funcionários, sendo que mais de três mil são mulheres. Temos delegadas, escrivãs, peritas, investigadoras e profissionais de várias outras áreas, sempre demonstrando que a mulher é capaz de contribuir, cada vez mais, com a segurança e com a sociedade”, afirma.
 
Para Andréa Vacchiano, ser a primeira diretora do Detran é um desafio. Ela diz que a nova chefia é de extrema importância para a vida profissional “Conheço as potencialidades e problemas. Sei que podemos atender o cidadão com excelência, mas temos que melhorar cada vez mais. Quero realizar um sonho, que já está planejado e arquitetado num completo plano de ação para toda nossa equipe”, afirma.
 
Ouvir e servir o cidadão, para a diretora, é prioridade. Segundo ela, o primeiro passo é formação de uma nova equipe. “Estamos fazendo algumas mudanças, respeitando todos os profissionais. Mas ainda temos um longo caminho, acredito na integração do Departamento, na otimização das despesas e valorização dos servidores”. 
 
IML
 
A nomeação para o cargo de diretora do IML deixou Lena Lapertosa satisfeita e honrada. “O respaldo da maioria dos colegas do Instituto me deixa lisonjeada”, ressalta.
 
A sequência do projeto que já melhorou e agilizou o atendimento ao público é uma das prioridades da nova direção, que pretende também ampliar o nível de informação da sociedade quanto aos serviços prestados pelo instituto que, ao contrário do que muita gente pensa, tem cerca de 75% dos exames feitos não em mortos, mas sim em vivos.