Belo Horizonte vai implantar mais três estações de monitoramento dos níveis dos cursos d’água, que vão se somar às 42 já existentes, destinadas à previsão meteorológica e de alerta contra enchentes na capital mineira.

Conforme publicado no Diário Oficial do Município (DOM), a Secretaria de Obras e Infraestrutura da PBH contratou a empresa Hobeco Sudamericana para executar serviços especializados de instalação das três novas estações e de manutenção preventiva, corretiva e de suporte do sistema de monitoramento hidrológico e alerta contra inundações na cidade.

O contrato, no valor de R$ 1.126.343,03, foi assinado em 15 de outubro passado e tem prazo de vigência de dois anos.

O custo previsto para instalação de cada uma das estações é de aproximadamente R$ 15 mil, segundo a prefeitura.

De acordo com o secretário de Obras e Infraestrutura, José Lauro Nogueira Terror, a contratação foi feita com a dispensa de licitação pública, com base no art. 25, inciso I da Lei Federal 8.666/93 (lei de licitações e contratos na administração pública).
 
SISTEMA ADEQUADO

O engenheiro Ricardo Aroeira, coordenador do Programa de Recuperação Ambiental de Belo Horizonte (Drenurbs), afirmou que o sistema de monitoramento de enchentes em Belo Horizonte é completamente adequado à demanda da cidade. O Drenurbs tem como objetivo o tratamento integrado dos problemas sanitários e ambientais no nível da bacia hidrográfica.

Entre as metas do programa, estão a despolui-ção de 140 quilômetros de cursos d’água, abrangendo 73 córregos e 47 bacias hidrográficas; a redução dos riscos de inundações com a implantação de bacias de detenção; o controle da produção de sedimentos e a integração dos recursos hídricos naturais ao cenário urbano.
 
(Colaborou Danilo Emerich)