Após a realização de mais uma assembleia geral, os servidores estaduais da saúde decidiram manter a greve, que já dura 15 dias. A reunião foi realizada na tarde desta terça-feira (10), no hall da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul da capital mineira.
 
De acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG), após a assembleia, um grupo de servidores ocupou a sala do café do legislativo. O prometido pelos manifestantes é só desocuparem o local quando a negociação com o Governo avançar. Vale ressaltar que a ocupação da porta do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, iniciada nessa segunda-feira (9), não foi encerrada.
 
O sindicato ainda informou que aguarda a mediação dos deputados com o Governo. Além disso, a assessoria do Sind-Saúde/MG esclareceu que representantes da categoria chegaram a ser convocados para uma reunião, "mas os diretores foram recebidos pelo chefe de gabinete afirmando que não teria nada a propor além do calendário de três meses de discussão sobre a pauta de reivindicações dos trabalhadores".
 
Na próxima sexta-feira (13), os servidores programam fazer o “Arraial da Greve”, em frente ao João XXIII. O objetivo do ato é aumentar o diálogo com a população em relação à real situação da categoria, que luta contra "o descaso do Governo com o serviço público de saúde e exige melhorias nas condições de trabalho". (*Com Sind-Saúde/MG)