Uma mercearia de fachada utilizada para venda ilícita de armamento. Essa era a função do estabelecimento comercial fechado nesta quinta-feira (12) pela Polícia Civil de Várzea da Palma, no Norte de Minas Gerais. O local é de propriedade do ex-vereador da cidade, Lourival Ribeiro Mouro. 
 
O crime foi descoberto após denúncia anônima de que o ex-parlamentar utilizava a mercearia como “armazém do crime". “O político fornecia munição de vários calibres para criminosos da região. A venda era feita dentro do estabelecimento comercial em qualquer hora do dia ou da noite”, explicou o delegado Fernando Vetorazo Alvarenga.  
 
Na mercearia, a polícia apreendeu duas armas calibre 38, 2.500 cartuchos de vários calibres, 250 tubos de pólvora, cerca de quatro mil espoletas e 42 quilos de chumbo. Também foram apreendidas 130 caixas de medicamentos. 
 
O ex-vereador Lourival Ribeiro Mouro e dois funcionários da mercearia foram presos em flagrante e encaminhados à delegacia do município. Durante os depoimentos, o político não informou a origem do material ilícito.
 
Após serem ouvidos, os suspeitos foram encaminhados para a cadeia pública de Várzea da Palma. 
 
A reportagem do Hoje em Dia procurou o representante legal do ex-vereador, mas ele não foi localizado.