A terra do café, do leite e do pão de queijo também pode ser rica em outras especiarias. Nesta semana, a cerveja artesanal esteve em evidência em Minas, no I Concurso Cervejeiro do Jardim Canadá, em Nova Lima (RMBH). Organizado pelo Instituto Mineiro da Cerveja e pela Comunidade dos Taberneiros, o evento reuniu centenas de pessoas que, em comum, nutrem a paixão pela bebida e o interesse de produzi-la em casa.

Neste sábado (7), foi o dia de conhecer quais dos 70 chopes, fabricados em diferentes partes do país, mais se destacaram. Na categoria Weissbier (típicas do sul da Alemanha), os vencedores foram Maurício Maciel Soares, Rols Alexandre Vollmer e Rodrigo Ivan Prim, de Contagem, Nova Lima e Florianópolis (SC), respectivamente.

Na American Ipa (com baixo teor de malte), se sobressaíram José Antônio de Rocha, José Marcelo Popi e Carlos José Valadão, de Manhuaçu, Curitiba (PR) e Niterói (RJ). E os campeões na categoria Christmas Ale (robustas e com alto teor de álcool) foram Thiago Azevedo, de BH, e José Antônio e Carlos José, que repetiram o feito.

O mérito deles foi impressionar um equipe de 12 jurados, formada por pessoas de renome do cenário nacional da cervejaria artesanal, como Marco Falcone, dono da Falde Bier, e Paulo Patrus, que já ganhou um título internacional. O grupo degustou cada uma das amostras e foi responsável por dar notas de 0 a 50, analisando cor, aroma, sabor e aparência.

Embora não tenha levado o prêmio, Wendel Mesquita, que passou quase um mês produzindo a Siberiana Beer, teve a oportunidade de ver de perto, pela primeira vez, a brasagem coletiva – produção da cerveja como ocorre nas grandes fábricas. Mil litros foram distribuídos entre o público.

O sucesso do evento surpreendeu, e já está prevista uma nova edição no ano que vem. “Estamos nos planejando para que a competição se torne tradicional em Minas. É uma forma de divulgar a cultura cervejeira no Estado e no Brasil”, afirma Felipe Viegas, proprietário da Taberna do Vale – Cervejaria Escola.

Tipos de Cerveja

Weisbier:
Típicas do Sul da Alemanha. No Brasil, são conhecidas como cervejas de trigo, porque levam boa carga de malte de trigo na receita.

American Ipa:
Em um naufrágio, barris da cerveja chegaram à costa da Inglaterra, sendo consumida e bem aceita pelos locais. Mais tarde, a receita for modificada nos Estados Unidos, com menos malte e mais carga de lúpulos aromáticos.

Christmas Ale:
Cervejas produzidas para o natal do hemisfério norte. Por isso, têm mais robustez e teor alcoólico.