Funcionários da área da saúde continuam realizando paralisações itinerantes de advertência na capital mineira. Nesta quarta-feira (11), o protesto ocorre na porta da Fundação Ezequiel Dias (Funed), no bairro Gameleira, região Oeste da capital, e conta com os apoio dos profissionais do hospital Galba Velloso.

Devido ao ato as cirurgias agendadas para a manhã desta quarta vão atrasar e só devem ocorrer após as 11 horas. “É uma paralisação de advertência, por isso das 7 às 11 horas não vamos realizar nenhuma cirurgia, mas garantimos que todas serão feitas ainda hoje”, afirmou a diretora Maria Lúcia Barcelos. Em março, um protesto dos funcionários do setor ortopédico do hospital prejudicou os atendimentos e, apenas casos de emergência foram atendidos. 
 
Técnicos de enfermagem, enfermeiros e outros profissionais da área da saúde fazem parte do ato. De acordo com o Sind-Saúde, cerca de 150 pessoas participam da manifestação que conta com carro de som, banda de música e panfletagem.
 
Procurada pela reportagem do Hoje em Dia, na manhã desta quarta, a direção do hospital informou, por volta das 12h30, que paralisação não alterou o funcionamento da unidade de saúde.  Segundo o hospital, as cirurgias estão transcorrendo normalmente. A direção informou ainda que a urgência psiquiátrica não teve o atendimento afetado.
 
Hospital Galba Velloso
 
O Hospital Galba Velloso, localizado ao lado da Funed, inicialmente, prestava assistência somente para pacientes psiquiátricos. Em 1969, o HGV passou a integrar a recém-criada Fundação Estadual de Assistência Psiquiátrica (Feap).
 
O Hospital Galba Velloso é um hospital público pertencente à Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig). A unidade assistencial atendente ao Sistema Único de Saúde (SUS). 
 
Atualizada às 20h50