Pelo menos 10 pessoas foram assassinadas em menos de 15 horas em Belo Horizonte e na Grande BH, entre a noite de terça-feira (23) e manhã desta quarta-feira (24). Até o início desta tarde a polícia não havia conseguido prender nenhum suspeito de participar dos crimes. Em um dos casos, uma mulher presenciou a execução do companheiro dela e também do filho.

Conforme a polícia, no fim desta manhã, mas precisamente por volta de 11h10, José Afonso Gomes de Souza, de 32 anos, foi baleado na rua Artur de Sá, bairro União, região Nordeste de Belo Horizonte. Segundo a polícia, a vítima foi socorrida por militares do 16° Batalhão da PM e encaminhada ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. No entanto, o homem acabou morrendo. Ele estava debaixo de um viaduto, quando foi abordado por um homem, que sacou uma arma e acertou cinco tiros nele.

Antes disso, Hudson Douglas de Oliveira, de 41 anos, morreu após ser baleado na rua Copacabana, no bairro Urca, em Ribeirão das Neves, por volta de 5h50. Conforme a PM, após ser baleado, moradores da rua acionaram a polícia e denunciaram o crime. Uma equipe médica foi ao local para tentar socorrer Hudson, mas ele já estava morto. Às 3h30, uma moradora da rua Antônio Praça Piedade, achou estranho o vizinho estar escutando música alta até aquele horário, já que, segundo ela, Adelton Novais, de 53 anos, não tinha o costume de fazer isso. Ela foi até uma das janelas de sua residência e notou que uma pessoa estaria deitada com o braço para fora da cozinha da casa do vizinho. Ela chamou pelo homem, mas não foi atendida. Diante disso, a mulher ligou para a polícia. Militares do 41° Batalhão da PM foram até o local e encontraram Adelton estirado ao chão com uma lâmina cravada no pescoço. Policiais civis realizaram perícia e constataram que o homem havia sido esfaqueado seis vezes.

Em Matozinhos, na Grande BH, um usuário de drogas foi executado com cinco tiros. A mulher de Carlos Eduardo Pereira da Silva, de 29 anos, contou aos militares do 36° Batalhão da PM que por volta de 2h, ele chegou à residência, que fica na rua Coronel Custódio de Alvarenga, bairro Progresso. Possivelmente bêbado e sob efeito de drogas, ele entrou no quarto do casal e pediu dinheiro à mulher para comprar crack. Ela se recusou a dar a quantia e, ele pegou no colo o filho deles, de aproximadamente um mês de vida, e ameaçou levá-lo embora. Um adolescente, que é filho da mulher, conseguiu conter o padrasto e não deixou que ele levasse o irmão. Ainda transtornado, Carlos quebrou vários pertences da família e, em seguida, saiu da casa. Ainda de acordo com a mulher, 20 minutos depois que Carlos deixou a residência, eles escutaram barulho de tiros e foram ver o que havia ocorrido, onde encontraram o homem estirado ao chão. Uma equipe médica foi ao local, mas o homem já estava morto. A mulher, o adolescente e um vizinho da família, de 51 anos, foram levados à delegacia para prestar esclarecimentos.
 
Ainda na madrugada e na Grande BH, Leandro Henrique da Silva Jesus, de 21, e o enteado Luzian Freitas Mota, de 10, mulher foram assassinados à tiros na frente dela na casa onde viviam em Esmeraldas. Conforme relatou de Juscélia Maria da Mota, de 30 anos, ela estava em sua casa na rua Esmeraldas, bairro Tijuco, quando homens invadiram a residência e efetuaram vários disparos. O homem levou cinco tiros e morreu na hora. A criança foi baleada nas costas e também não resistiu aos ferimentos. Já a mulher, ficou ferida na perna por estilhaços. Ela foi encaminhada ao Hospital São Judas Tadeu em Ribeirão das Neves, também na Grande BH, e não corre risco de morrer. Ainda de acordo com a PM, Juscélia disse que há aproximadamente uma semana, Leandro tentou roubar uma idosa no bairro Recanto da Estrelas, onde teria a agredido. A vítima teria ficado alguns dias hospitalizada. Juscélia acredita que o companheiro foi executado por pessoas que estariam se vingando do que Leandro fez. Porém, essa hipótese ainda não foi confirmada pela polícia e ninguém foi preso até o momento

Crimes na noite

 Por volta de 19h50, Marcos Vinicius Chagas, de 44 anos, foi assassinado a tiros na Vila Biquinhas, região Norte de Belo Horizonte. O suspeito de cometer o crime fugiu logo após efetuar os disparos e ainda não foi encontrado pela Polícia Militar (PM). Não foi revelado pela polícia ainda por qual motivo o homicídio ocorreu. Em Contagem, na Região Metropolitana, um homem foi esfaqueado na Fazenda Marimbondo. De acordo com a PM, ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal de Contagem, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu. A polícia ainda não revelou detalhes sobre o crime e quem seria o suspeito de praticá-lo. Já em Ribeirão das Neves, um homem foi morto na rua Ana Alvarenga Campos, em frente ao número 1160, no bairro Luar da Pampulha.  

De acordo com a PM, em Sabará, familiares de Wesley Rodrigues da Silva, de 17, disseram que o jovem estava na residência, localizada na rua Colina, bairro Morro da Cruz, quando por volta de 23h, ele foi chamado no portão. O garoto foi atender e, quando chegou na porta da casa, foi recebido a balas. Ele tentou correr, mas dois tiros acertaram as suas costas e um a mão. Uma equipe de socorro médico foi ao local, mas o jovem já estava morto. A tia de Wesley falou aos militares da 15° Companhia Independente que o sobrinho estava com um colar de prata e um telefone celular, que possivelmente foram levados pelos suspeitos. Ela ainda revelou que três pessoas participaram do crime e, revelou a identidade deles. Uma moto, que teria sido usada pelos possíveis criminosos para chegar ao local do homicídio, foi localizada em um terreno.