Em comemoração ao Dia da Prostituta, celebrado na próxima terça-feira (2), uma semana de atividades de conscientização sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis será realizada em Belo Horizonte.

A programação vai do dia 3 até 7 de junho foi elaborada pela Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aprosmig). Cerca de 600 pessoas devem ser atendidas durante os cinco dias.

Vários serviços serão oferecidos, entre eles: oficinas de sexualidade e auto-cuidado, prevenção, teste rápido para HIV, sífilis, hepatites virais e gravidez. Além de distribuição de material informativo e preservativos.

Cerca de 20 profissionais, entre médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e monitores do programa “BH de Mãos Dadas contra a Aids” estarão a disposição durante esses cinco dias.

O evento será no 3º andar do Shopping UAI, localizado na rua Saturnino de Brito, 17, no Centro de BH, em frente ao terminal rodoviário.
 
Especialistas na área da saúde estimam uma incidência de 5% de infecção pelo HIV entre as prostitutas no país.  “Queremos estimular as pessoas, que tenham ou tiveram relações sexuais, a realizar o teste. Ele está presente em toda a nossa rede e deve ser feito por todos.

Quanto mais cedo se diagnosticar uma doença, melhores serão as chances de sobrevida”, explica a gerente da Coordenação de DST/Aids da SMSA, Lucinéia Carvalhais.

Atualmente, em Belo Horizonte, existem cerca de 8 mil pessoas em tratamento antirretroviral (residentes e não residentes). Em 2012, foram constatados 515 novos casos de Aids em Belo Horizonte. Já no ano de 2011, foram confirmados 541 novos casos. Até abril deste ano, foram 38 novos casos de Aids.