Conteúdo de responsabilidade de Celso Martins Santos

A Conmebol anunciou que dois jogadores dos times finalistas da Libertadores concorrem ao prêmio de melhor jogador da edição 2020. O goleiro Weverton e o atacante Rony representam o Palmeiras, enquanto os atacantes Marinho e Soteldo são os destaques do Santos. A eleição do craque da principal competição da América do Sul ocorrerá em uma votação popular.

Além disso, o jogador escolhido vai receber um anel personalizado com pedras preciosas e desenvolvido em homenagem ao palco da grande final, o estádio do Maracanã. A joia conta com 30 gramas de ouro, 131 diamantes, uma safira amarela e uma esmeralda.

O anel ainda tem as seguintes mensagens: "Best of The Tournament" (O Melhor do Torneio) e "Conmebol Libertadores". A cobiçada recompensada deve ser entregue ao craque da Libertadores na cerimônia de premiação, ou seja, logo após o encerramento do jogo decisivo no Rio de Janeiro.

Terceira final da Libertadores com times brasileiros

A final de 2020 será a terceira na história do torneio realizada entre clubes brasileiros. Conforme o portal iGaming Brazil: a Conmebol Introduz Novas Regras para Combater o Coronavírus e a partida final acontecerá com os portões fechados, uma tendência desde a retomada do futebol na América do Sul e no próprio país sede, o Brasil.

O Palmeiras passou pelo River Plate e o Santos deixou Boca Juniors pelo caminho. Agora, os dois times paulistas se enfrentam em um jogo único que deve fazer com que milhares de fãs da modalidade deixem os seus palpites nas plataformas digitais, como a casa de apostas e cassino online, LeoVegas. 

Afinal, os prognósticos esportivos dos especialistas, como do Esportes Online considerado site referência para análises, apontam para um embate extremamente equilibrado. Os treinadores Abel Ferreira e Cuca estão conseguindo extrair a capacidade máxima de seus respectivos elencos, que atravessam bons momentos em outras competições.

Antes da final marcada para o dia 30, as duas edições com enfrentamento de equipes brasileiras envolveram um outro clube paulista. Em 2005, o São Paulo encarou o Athletico e se sagrou campeão. Na temporada seguinte, o Tricolor Paulista não teve a mesma sorte e acabou perdendo o título para o Internacional.