O que não pode faltar no closet de uma mulher? A administradora Manu Diniz, 36 anos, responde de forma direta e bem humorada: “Toda mulher tem que ter uma peça da Chanté”, ri, referindo-se à loja da qual é sócia, localizada na Alameda da Serra, em Nova Lima. Contabilizando 11 anos dedicados ao mundo da moda – mesmo tempo em que mora em BH – a charmosa e simpática soteropolitana deixa a brincadeira de lado para revelar: “É essencial, no closet, uma boa pashmina, um salto – deixa a mulher mais elegante – e uma sapatilha, por ser prática”. 
 
Aliás, praticidade é a palavra que melhor define o estilo de vida da moça, que se divide entre casa, filhos e trabalho – não bastasse, ainda tem que conciliar sua agenda com a do marido, o baixista do Jota Quest, PJ. “Após ser mãe, mudei um pouco meu estilo. Por exemplo, deixei um pouco de lado os saltos e passei a fazer mais uso das sapatilhas, que são mais práticas, E abuso das roupas confortáveis”. 
 
O que há de melhor e mais up to date no mundo fashion – marcas de roupas, acessórios e sapatos mais queridinhos do momento – marcam presença no closet de Manu: Daslu, Lilly Sarti, Pat Bo, BoBô, Le Lis Blanc, Luiza Barcelos.... “Gosto muito de todas (as grifes citadas), e, por comercializá-las na loja, não tem como não adquirir”, confidencia ela. 
 
Para fugir um pouco da rotina, Manu tem seus segredos. “Faço balé clássico com a Letícia Viana, além de aulas de violão e culinária – essas, ministradas pela Laura Tomás, do restaurante Parrilla. São momentos em que esqueço casa e trabalho. Com isso, nem preciso de terapia, é um momento só meu”, confessa.
 
Viagens também estão no topo de de suas preferências. “Viajo ao menos duas vezes ao ano. No início deste ano, por exemplo, fomos para a Disney. Já na época da Copa do Mundo, fui para Barcelona com meus pais e os meninos (referindo-se aos filhos, Gabriel, 8 anos, e Pedro, 4). Passamos um mês por lá”, rememora. 
 
Cumpre dizer que, para as viagens, Manu trata de elaborar roteiros charmosos que incluem também a gastronomia. “Sempre adquiro alguma coisa, mas não fico em função de compras e lojas. Prefiro conhecer bons restaurantes, pois adoro comer e descobrir novos sabores”.