O tetra, agora, é questão de tempo para o Cruzeiro. Após uma etapa inicial irreconhecível, na qual saiu atrás do placar, a Raposa voltou a mostrar sua força e virou para 2 a 1 um complicado duelo contra o Grêmio, válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, e que foi disputado na arena tricolor, na noite desta quinta-feira (21). Com gols de Ricardo Goulart e Everton Ribeiro, o time estrelado depende apenas de si para levantar o caneco.
 
Com o triunfo, o Cruzeiro chegou aos 73 pontos, sete a mais que o segundo colocado, São Paulo. Com isso, a próxima rodada poderá entrar de vez para a memória do torcedor estrelado. No domingo (23), a Raposa recebe o Goiás, no Mineirão, a partir das 17 horas. Caso vença o time esmeraldino, os comandados de Marcelo Oliveira garantirão matematicamente o quarto título nacional da história celeste. 
 
ENTREGUE
 
O ótimo público presente na Arena do Grêmio era um reflexo da importância do duelo desta noite. Afinal, o estádio seria palco de um duelo entre uma equipe que luta por uma vaga no G-4 contra o líder do Brasileirão, que queria colocar uma mão na taça. Eram ingredientes perfeitos para um grande duelo, daqueles que viram referência por um bom tempo. Porém, só o tricolor gaúcho parecia querer seguio script na primeira etapa.
 
Durante os 45 minutos que abriram a partida, o Cruzeiro foi uma caricatura mal rabiscada daquela equipe que apresentou um futebol intenso e contagiante ao longo da temporada. Deu a impressão que o duelo desta noite era apenas mais um em sua temporada. Sem gana, demorou a sair em busca das ofensivas. Quando o fazia, se precipitava ao tentar o passe final, facilitando a defesa dos adversários.
 
Mas não era somente na frente que o Cruzeiro se mostrou irreconhecível. Atrás, o clube estrelado não se encontrou. Não conseguiu encurtar espaços quando foi atacado. Para piorar, os botes eram imprecisos. Assim, o tricolor gaúcho conseguiu criar cinco boas oportunidades de gol, quase sempre baseadas nas subidas de seus volantes, aliadas às boas investidas dos pontas Luan e Dudu, este que deu muito trabalho aos laterais celestes.
 
Não à toa, o Grêmio saiu para o vestiário com a vantagem no marcador. O único gol da etapa inicial saiu aos 12 minutos, quando Júlio Baptista dormiu no ponto e deixou Riveros dominar uma bola fácil na entrada da área. O bom volante paraguaio não perdoou a falha e chutou rasteiro para balançar a rede. 1 a 0.
 
No final das contas, o placar mínimo favorável ao time gaúcho era justo. O tricolor gaúcho foi combativo, apesar de não tão refinado tecnicamente. Por essa gana em buscar a vitória, dominou as ações, já que faltava ímpeto ao time estrelado. Era claro que o Cruzeiro poderia tinha potencial para jogar mais. Muito mais.
 
OUTRO TIME
 
Na última rodada, no duelo contra o Santos, o Cruzeiro fez um primeiro tempo abaixo da crítica e voltou dos vestiários com outra postura, fazendo valer sua qualidade técnica através da entrega de seus jogadores.
 
E, ao que parece, a bronca no vestiário vem rendendo bons frutos no time estrelado. Assim como outrora, os comandados de Marcelo Oliveira entraram “pilhados” em campo para a etapa complementar do confronto contra o Grêmio. E como eles possuem maior qualidade técnica se comparados aos rivais, precisaram apenas igualar o ímpeto para mudarem por completo o rumo da partida.
 
Vibrante, o Cruzeiro passou a empurrar o Grêmio contra seu campo. Era ataque atrás de ataque, justamente o que não fizera na primeira etap. Porém, não seria possível se defender para sempre. E no mínimo descuido, aos 20 minutos, a “casa caiu”. Após escanteio cobrado pela esquerda, Willian chutou de primeira. Marcelo Grohe fez uma grande defesa, mas a zaga não estava atenta para pegar o rebote. Melhor para Ricardo Goulart, que aproveitou a falha para igualar o marcador. 1 a 1.
 
Após o tento, o Grêmio, desesperado, se expôs. Passou a atacar freneticamente, dando espaços justamente contra um time que se caracterizou por contra-golpes bem encaixados. Foi mortal. Aos 30, Mayke pegou a defesa gaúcha desprevenida. Com um passe sensacional, deixou Everton Ribeiro de “frente para o crime”. Com um chute forte e rasteiro, o craque celeste tirou Marcelo Grohe da jogada e virou o marcador. 2 a 1.
 
Dali para frente, os comandados de Marcelo Oliveira precisaram apenas cadenciar a partida, aguardando apenas o apito final.
 
O tetra só depende deles. 
 
 
FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 2 CRUZEIRO
 
GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Pedro Geromel, Rhodolfo, Zé Roberto; Walace, Riveros (Alan Ruiz), Ramiro, Luan (Giuliano); Dudu e Barcos (Lucas Coelho). TÉCNICO: Luiz Felipe Scolari
 
CRUZEIRO: Fábio, Ceará (Mayke), Léo, Bruno Rodrigo, Samudio (Egídio); Nilton, Willian Farias, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart; Marquinhos (Willian) e Júlio Baptista. TÉCNICO: Marcelo Oliveira
 
Gols: Riveros (aos 12' do 1º tempo); Ricardo Goulart (aos 20') e Everton Ribeiro (aos 30' do 2º tempo)
Data: 20 de novembro de 2014
Motivo: Jogo válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Arena do Grêmio
Cidade: Porto Alegre (RS)
Árbitro: Vinícius Furlan (CBF/SP)
Árbitros assistentes: Émerson Augusto de Carvalho (FIFA/SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA/SP)
Árbitros assistentes adicionais: Rodrigo Guarizo do Amaral (CBF/SP) e Marcelo Prieto Alfieri (CBF/SP)
Cartões amarelos: Mayke, Willian Farias e Samudio (Cruzeiro); Zé Roberto, Pedro Geromel e Riveros (Grêmio)