Por meio de seu site oficial, o Atlético noticiou uma vitória jurídica. O desembargador federal Novély Vilanova da Silva deu ganho de causa para que o Galo consiga sair do antigo Refis e aderir ao Profut. Mais do que isso, o Galo poderá usar os R$ 50 milhõs congelados pela Fazenda Nacional para abater as parcelas da dívida.
 
No Profut - programa de modernização do futebol brasileiro - o Atlético terá condições viáveis de pagamento do débito fiscal, que gira em torno de R$ 180 milhões. O Galo já fez as adequações exigidas por lei em seu estatuto e aderiu ao programa, que tem a primeira parcela vencendo no final deste mês. A dívida pode ser parcelada em até 240 meses (20 anos). O Galo prevê que o dinheiro bloqueado possa pagar oito anos de parcelas.
 
Nota oficial do clube:
"O Tribunal Regional Federal (Brasília), em decisão liminar proferida pelo Des. Federal Novély Vilanova, deu ganho de causa ao Atlético, acolhendo o recurso do Clube para reconhecer o direito à desistência do REFIS anterior, e aprovar a sua imediata adesão ao PROFUT, com a garantia de utilização dos valores bloqueados para o pagamento das parcelas mensais do novo programa".