Fim da novela. Após reunião realizada nesta sexta-feira (31), na sede do Atlético, localizada no bairro de Lourdes, o presidente do Galo, Alexandre Kalil, o irmão e empresário de Ronaldinho Gaúcho, Roberto Assis, e o advogado que representa o craque, Sérgio Queiroz, firmaram o novo vínculo do atleta com o clube alvinegro, que se estenderá o final desta temporada. O novo acordo já foi registrado junto à Confederação Brasileira de Futebol sob o número de 126367 e foi publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da entidade. 
 
Ao deixar a sede do Galo, às 13h10, Assis comentou o caso. "Algumas pendências foram resolvidas. Eu nunca tinha dito que ele não ia ficar", disse o irmão e empresário do maestro alvinegro. 
 
A renovação do craque com o Atlético foi anunciada pelo mandatário do Galo no último dia 9, através de sua conta oficial no Twitter. Segundo a cúpula alvinegra, o camisa 10 não havia feito “exigência alguma” e o novo acordo havia sido feito “nas mesmas condições”. No entanto, a exigência de Assis era simples e o posicionamento irreversível: que fosse quitada a dívida antiga do clube com o jogador.
 
Mesmo sem contrato assinado, Ronaldinho Gaúcho se apresentou para treinar no último dia 20, com a promessa de que o clube alvinegro quitaria dívidas do antigo contrato, e não do próximo, conforme informou a diretoria atleticana nessa quinta-feira (30). Insatisfeito, Assis colocou a cúpula alvinegra contra a parede e deu o ultimato: se a situação não fosse resolvida, Ronaldinho Gaúcho poderia deixar o Atlético ainda nesta sexta. O prazo dado coincide com a data de fechamento da janela de transferências internacionais.
 
Em meados do último dezembro, Ronaldinho Gaúcho devolveu o imóvel onde reside, em um condomínio em Lagoa Santa, pois sua permanência na Cidade do Galo era pouco provável. Após muitas conversas e o desejo do jogador de seguir no Atlético, Assis aceitou dar “nova chance” ao clube para resolver as pendências. Com isso, R10 se estabeleceu novamente na casa onde vive desde que chegou a Minas Gerais, em 2012.
 
Na semana passada, o diretor de futebol, Eduardo Maluf, informou que o R10 não enfrentaria o Minas Boca, na estreia do clube noCampeonato Mineiro, pois havia sido expulso na partida contra o Guangzhou, da China, no Mundial de Clubes. Para tristeza da torcida, novamente o craque não poderá participar do embate do Galo contra o Nacional, no Independência, neste domingo,  já que não havia um acordo formal no dia do embate contra o time de Sete Lagoas.