O treinador Givanildo Oliveira continua aproveitando que o América não jogou no meio de semana para fazer testes na equipe que se prepara para enfrentar o CRB neste sábado (13) no Independência, às 21 horas. A novidade do treino foi a ausência do lateral esquerdo Bryan, liberado das atividades dessa quinta-feira (11) pela diretoria alviverde para resolver problemas trabalhistas em São Paulo. Raul ficou com a vaga na lateral esquerda e treinou entre os titulares.
 
O treinador usou a atividade da quinta-feira (11) para aprimorar o posicionamento em campo da equipe e passou instruções aos atletas. O atacante Cristiano, que fez um bom Campeonato Mineiro sendo vice-campeão com a Caldense, avalia como positiva a semana de treinamentos no CT Lanna Drumond e espera ganhar ritmo de jogo.
 
“O Givanildo fez esses dois coletivos para adaptar a equipe. Eu prefiro jogar mais centralizado, como vem sendo. Estou procurando encontrar um jeito de estar finalizando. Mas isso é treinando, para pegar o jeito de jogar mais centralizado”, explicou o atleta, que ainda falou sobre sua condição física. 
 
“Nos quatro jogos que atuei como titular tive poucas oportunidades. Só mesmo no jogo contra o Bragantino, que perdi dentro da área. Tinha um ano que não jogava 90 minutos, tirando um jogo contra o Villa Nova, na última rodada de classificação do Mineiro. Mas creio que a primeira que entrar, em nome de Jesus, vai sair um monte de gols na sequência”, completou.
 
O atacante esteve presente em cinco partidas pelo América na série B deste ano e ainda não marcou nenhum gol. O jogador, que balançou as redes cinco vezes no Mineiro, reconhece que não está rendendo o esperado no ataque do Coelho e encara o jejum com tranquilidade.
 
“Eu me cobro muito. Atacante vive de gols. Mas até mesmo os próprios companheiros me dizem para ter tranquilidade, porque o gol vai sair naturalmente, e depois virá uma sequência”, disse. 
 
A fórmula para balançar as redes adversárias pela primeira vez? Cristiano se mostrou confiante e promete continuar chutando fora da área para tentar marcar o seu primeiro gol e ajudar o América a voltar para o G4 da competição nacional.
 
“Gosto muito de chutar de fora da área. Contra o Santa Cruz chutei uma, contra o Bragantino duas; contra o Náutico e Sampaio, não. Mas teve aquela 'bicicleta' contra o Náutico (bola na trave). Quando a oportunidade aparecer vou chutar, mas tenho que dividir a responsabilidade também com outros jogadores que chutam muito de fora de área, como é o caso do Mancini. O Givanildo tem cobrado muito, para sempre quando tiver oportunidade finalizar de fora da área”, concluiu.
 
Com 10 pontos em 18 disputados, o América ocupa a nona colocação na Série B e se vencer o confronto do sábado pode ficar novamente entre os quatro primeiros colocados do torneio, que dá o direito de disputar a elite do nacional no ano seguinte.