A história se repete no América. O técnico que termina a Série B do Campeonato Brasileiro não suporta os péssimos resultados do Mineiro do ano seguinte e cai. Ano passado, Vinícius Eutrópio deu lugar a Paulo Comelli na quinta rodada.

Coincidentemente é neste mesmo momento do Estadual que Moacir Júnior, de 47 anos, assume o comando do Coelho. O clube ocupa a 11ª posição, na zona de rebaixamento, com dois pontos em três partidas.

O novo treinador, que substituirá o demitido Silas, será apresentado amanhã. Portanto, apenas observará a equipe hoje, contra a URT, às 19h30, no Independência, em confronto antecipado da 11ª rodada.

Moacir estava no Tombense, que vem de uma boa arrancada no começo do Mineiro. O time da Zona da Mata é o quinto na classificação, com cinco pontos.

Na última quarta, protagonizou um feito ao bater o Atlético, por 2 a 0, no Independência.

Diante do Trovão Azul, o Coelho será dirigido interinamente por Cláudio Prates. A preocupação do momento é com o setor ofensivo.

“Precisamos agredir mais, ter mais posse de bola no ataque. Então, o que vamos procurar fazer é dar um pouquinho mais de dinamismo na frente. Vamos ser agressivos”, avisa Prates, comentando o que espera do time.

Motivação

Não é possível prever se Moacir Júnior terá sucesso no banco de reservas do Coelho. No entanto, o treinador chega com elogios do ex e do agora atual clube.

Eugênio Salomão, o Baiano, que trabalhou com Moacir na comissão técnica do Tombense, ressalta que ele é um profissional muito dedicado. “Um cara disciplinador, que monta muito bem suas equipes. E o Moacir está empolgado, pois é a oportunidade da vida”, reforça ele.

O gerente de futebol do América, Flávio Lopes, também demonstra otimismo. “Muito feliz por aquilo que ouvi do Moacir. Há muito tempo não via um profissional tão motivado pela chance que está recebendo. Isso me deixou muito tranquilo”, avisa.

Novidades

O América terá novidades no duelo com a URT. Gilson volta à lateral esquerda. No meio-campo, Marcelo Rosa garantiu a vaga de titular, no lugar de Andrei Girotto, cortado por conta de uma pancada na clavícula sofrida frente ao Cruzeiro.