Neste sábado (27), às 17h, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai, Flamengo e Palmeiras decidem quem vai atingir, pela terceira vez, “a glória eterna”. Somente um deles sairá de campo vencedor da Libertadores deste ano, e fica a expectativa se o futebol sul-americano conhecerá mais um ganhador invicto ou mais um bicampeão em sequência.

Flamengo

Detentor das taças de 1981 e 2019, o Rubro-Negro chega à decisão desta edição sem ter perdido uma partida sequer. Até agora, o time carioca soma nove triunfos e três empates – foram 32 gols marcados e 12 sofridos.

Caso leve a melhor sobre o Palmeiras, seja no tempo normal, na prorrogação ou nos pênaltis, o Flamengo se tornará o sétimo clube a vencer a Libertadores de forma invicta. 

Obtiveram esse feito o Estudiantes, em 1969 (quatro vitórias) e 1970 (três vitórias e um empate), o Independiente, em 1964 (cinco vitórias e dois empates), o Boca Juniors, em 1978 (quatro vitórias e dois empates), o Peñarol, em 1960 (três vitórias e quatro empates), o Santos, em 1963 (três vitórias e quatro empates), e o Corinthians, em 2012 (oito vitórias e seis empates).

Palmeiras

Campeão em 1999 e 2020, o Verdão, por sua vez, se credenciou a esta final graças a oito vitórias, três empates e uma derrota. A equipe paulista estufou as redes adversárias 27 vezes e teve a retaguarda vazada em nove ocasiões.

Caso se sobressaia diante do Flamengo, o Palmeiras entrará para a galeria dos bicampeões em sequência.

A lista conta, até agora, com Independiente (1964/1965 e 1972/1973, fechando o tetra em série com 1974 e 1975), Boca (1977/1978 e 2000/2001), Peñarol (1960/1961), Estudiantes (1968/1969, chegando ao tri em 1970), São Paulo (1992/1993) e Santos (1962/1963).

Clássico

Palmeiras Abel Ferreira e flamenguista Renato Gaúcho farão duelo de treinadores na batalha em Montevidéu

Rivais

Os dois finalistas vão, de certa forma, pressionados para a finalíssima da Libertadores. O Palmeiras, sem título neste ano, até agora, não vence o Flamengo há nove partidas (cinco derrotas e quatro empates).

“É um duelo à parte. Jogamos uma final com eles na Supercopa (N.R.: o Flamengo venceu nos pênaltis) e fizemos uma partida muito boa. Quando é um confronto só, é à parte. Estamos trabalhando para fazer um grande jogo, de um título muito importante”, afirmou o zagueiro alviverde Gustavo Gómez.

Já o Flamengo, apesar de ter sido campeão carioca e da Supercopa do Brasil nesta temporada, foi eliminado nas semifinais da Copa do Brasil e está a oito pontos do líder do Brasileirão, o Atlético.

“É sempre necessário avaliar se (a diretoria) não poderia ter feito melhor, tomado decisões melhores para ter mais brilhantismo. Se ganharmos (a Libertadores), será uma temporada muito boa, acima da média. Se perdermos, não dá para achar que tudo foi uma tragédia”, declarou o vice de futebol rubro-negro, Marcos Braz.