O primeiro tempo do Cruzeiro contra o Vitória, nesse domingo (14), no Barradão, foi “atípico”, na visão do técnico Vanderlei Luxemburgo. Com menos de oito minutos de jogo, o time celeste perdia por 2 a 0, e, ao fim da etapa inicial, o placar era de 3 a 0, mantido até o término do confronto. Situação que serve de alerta ao treinador e a seus comandados para os dois últimos embates da equipe na temporada. 

A Raposa ainda vai enfrentar o Sampaio Corrêa, na quinta-feira (18), às 21h, no Castelão (MA), e o Náutico, no dia 28 de novembro, às 16h, em casa, fechando sua participação em mais uma Série B de Campeonato Brasileiro. E Luxa espera um comportamento totalmente diferente daquele exibido ante o Leão para os desafios que restam em 2021.

Com risco ínfimo de queda à Terceira Divisão e sem chance de acesso à elite nacional, o Cruzeiro vai cumprir tabela nestes dois embates. Então, de onde tirar motivação? O treinador é quem tem a resposta.

“Temos que melhorar a postura da equipe nos dois jogos finais. Foi vergonhosa para todos nós a maneira como (o time) se comportou (contra o Vitória). (...) A motivação tem que ser a dignidade e o orgulho de vestir uma camisa tão pesada e nobre como a do Cruzeiro, com uma história tão bonita. Isso já basta para entrar em campo motivado”, disse Vanderlei Luxemburgo.

Cruzeiro

A Raposa soma 46 pontos, em 11° lugar, mas pode cair até três posições, dependendo dos resultados desta segunda-feira (15) no complemento da 36ª rodada da Série B. Operário-PR (45 pontos), Vila Nova-GO (44) e Ponte Preta (43 pontos e dez vitórias, mesmo número de triunfos que os celestes) enfrentam, respectivamente, Botafogo, Vasco e Londrina, e podem ultrapassar os azuis.

Leia mais:
Cruzeiro precisa de, no mínimo, um triunfo e um empate para superar pontuação de 2020
Luxemburgo classifica primeiro tempo do Cruzeiro como ‘horrível’ e ‘sonolento’
Por conta de suspensão, Wellington Nem e Marcinho desfalcam o Cruzeiro contra o Sampaio