Empate sem gols no Mineirão, nesta terça-feira (28), como se deu no duelo de ida das semifinais da Libertadores, no Allianz Parque, leva para a disputa de pênaltis a decisão de uma das vagas à final da Libertadores. No entanto, o Atlético não quer passar por essa situação novamente, como ocorreu perante o Boca Juniors (na classificação suada às quartas de final), e tentará resolver a parada no tempo normal do confronto com o Palmeiras.

Aliás, superar o Verdão nos 90 minutos (e nos acréscimos) representaria o fim de uma escrita positiva do time paulista e na qual os comandados de Abel Ferreira se apoiam para tentar levar a melhor no Gigante da Pampulha: o Porco soma 14 jogos seguidos sem perder como visitante na competição (dez vitórias e quatro empates).

O levantamento não computa o triunfo por 1 a 0 sobre o Santos, na decisão de 2020, no Maracanã, já que o estádio era considerado campo neutro.

Atlético

Atleticano Cuca e palmeirense Abel Ferreira farão novo 'jogo de xadrez' nesta terça

Já o Atlético defende uma invencibilidade de 12 partidas consecutivas na Libertadores, contabilizando os 2 a 1 para cima do Zamora, da Venezuela, pela última rodada da fase de grupos de 2019, e a campanha atual da competição.

O time comandado por Cuca detém, no torneio 2021, até agora, sete triunfos – sobre Cerro Porteño, América de Cali e River Plate, duas vezes cada, e La Guaira em uma oportunidade – e quatro empates – com o Boca Juniors, duas vezes, La Guaira e Palmeiras.

Leia mais:
No encalço de Jô, Guilherme e Gabriel, Hulk tenta não ‘bater na trave’ na luta por marcas históricas
Consistência defensiva: há cinco jogos sem levar gol, Galo chega ao 30º 'clean sheet' na temporada
Cuca aguarda por Diego Costa, Savarino e Keno no Atlético contra Palmeiras: ‘não descartaria nenhum'