Contratado no fim de fevereiro para reforçar o elenco do Cruzeiro, o zagueiro Eduardo Brock rapidamente foi acionado pelo técnico Felipe Conceição. Após ficar um período como opção no banco de reservas, o defensor foi o escolhido para formar a dupla de zaga com Ramon nos dois últimos jogos, substituindo Manoel, que desfalcou a Raposa nessas partidas, em razão de um desconforto muscular.

Com atuações seguras, e ainda com o então titular fora de combate, Brock deverá iniciar jogando no clássico contra o América, neste domingo (21), às 16h, no Independência, pela 5ª rodada do Campeonato Mineiro.

Em entrevista concedida às mídias oficiais do clube estrelado, divulgada neste sábado, o zagueiro indicou o caminho que o time celeste deve seguir para buscar o triunfo, e fez questão de elogiar o estilo de jogo adotado pelo comandante.

“A forma de jogar do Felipe (Conceição) é muito impressionante. É um jogo totalmente ofensivo. Então, buscamos a vitória o tempo todo, e nesse jogo não vai ser diferente. Mas também temos que ter uma solidez ofensiva, achar esse meio termo, esse equilíbrio, para fazer um grande jogo lá atrás (na defesa) e conseguir a vitória lá na frente”, disse o jogador de 29 anos.

Semana livre

Eduardo Brock também comemorou a semana livre de trabalho antes do clássico, em um momento em que o Cruzeiro ainda busca se acertar, após uma grande reformulação no elenco e a mudança na comissão técnica.

“Nós somos um grupo em formação, mas um grupo que está evoluindo bastante com o tempo, principalmente quando temos um tempo de trabalho como tivemos essa semana. Esse é o momento de uma evolução gigantesca, porque é um trabalho de curto prazo ainda, mas que está tendo uma bola evolução. A gente conseguindo levar isso (a evolução) para dentro de campo, temos grandes chances de fazer um grande jogo, de conseguir sair com a vitória. Esse é o pensamento principal, sempre”.

Por fim, o defensor elogiou a equipe do América, atual vice-líder do Mineiro, com nove pontos, dois a mais do que a Raposa, que aparece na quarta colocação. “Um jogo grande, com duas equipes fortes. O América vem de um ano muito bom, com um acesso (à Série A). É um grupo que está junto já há bastante tempo, então, sabemos da dificuldade que vai ser”.