Há exatos 11 anos, um fato curioso ganhou os noticiários após goleada do Atlético sobre o Juventus, do Acre, pela Copa do Brasil. Mesmo com os 7 a 0 no placar, o técnico Vanderlei Luxemburgo não ficou muito satisfeito com o atacante Obina, autor de cinco gols no duelo. Estranho, né?

Mas a bronca dada por Luxa no artilheiro foi por uma causa especial. Caso não tivesse dado a Muriqui a chance de cobrar a penalidade marcada para o Galo durante o duelo, Obina teria se tornado o goleador máximo de uma única partida na história do torneio.

Com cinco gols, ele divide o topo com Gérson (Atlético, em 1991), Viola (Santos, em 1999) e Neymar (Santos, em 2010).

"Eu cheguei no vestiário cumprimentando todo mundo, todo mundo me dando os parabéns. Aí quando chegou a hora do Vanderlei ele me deu uma bronca. Perguntou se eu estava doido. Eu abri os braços e fiquei sem entender. 'Você sabia que podia fazer história? Tem que fazer história, se você faz o sexto, você seria o único jogador a fazer seis gols em um jogo da Copa do Brasil'. Aí eu falei que não sabia, mas que eu já tinha feito os cinco gols. 'E daí? faz o sexto.'", relembrou o atacante ao UOL, em 2018.

Pelo Atlético, o baiano fez 39 partidas e anotou 27 gols, numa passagem que durou apenas 10 meses.