Com um gol de Geovane, aos 27 minutos do primeiro tempo, para o América, e Armando Sadiku, aos 6 de segunda etapa, para o Bolívar, da Bolívia, os dois times empataram em 1 a 1, nesta terça-feira (23), em jogo-treino realizado no CT Lanna Drumond. Independentemente do resultado, a partida representou uma boa oportunidade para o técnico alviverde Lisca fazer algumas observações e analisar o desempenho de atletas mais jovens, visando à temporada 2021.

"Importante abrir o campo, trabalhar situações reais de jogo. Hoje trabalhamos com 20 ou 21 jogadores de linha, demos uma rodada no nosso plantel, vimos alguns atletas mais jovens, contra uma equipe que está classificada para a pré-Libertadores. Foi ótimo, pudemos observar alguns jogadores, e vários deram uma ótima resposta", destacou o treinador.

Em dois tempos distintos, Lisca utilizou parte da equipe da última temporada na primeira etapa, e um time recheado de jovens formados na base na segunda metade do confronto.

"Na verdade, foram dois jogos num só. No primeiro tempo, uma equipe mais experiente, que deve ser a base da nossa estreia (no Mineiro) contra o Boa no sábado (às 19h, no Independência), já introduzindo o Ricardo (Silva, zagueiro). O Carlos (Junio), o Kawê e o Gustavinho são meninos num processo já adiantado. O Heitor é um menino de 16, 17 anos que fez um jogo de luxo. Mais importante que qualquer placar é o desempenho, a desenvoltura dos jogadores e a preparação para nossa sequência no ano", comentou.

E ressaltou que os pratas da casa ganharão chances ao longo da temporada. "(O jogo-treino serviu para) quebrar o gelo também, e os atletas se sentirem participantes do nosso projeto. O América tem como característica apostar nos meninos da casa. Assim vamos quebrando barreiras, deixando-os mais à vontade no nosso ambiente", disse.

América

América e Bolívar empataram em 1 a 1, nesta terça, no Lanna Drumond

No primeiro tempo, o Coelho atuou com Airton; Joseph, Ricardo Silva, Eduardo Bauermann e Lucas Luan; Flávio, Marcelo Toscano e Geovane (Gustavinho); Léo Passos, Carlos Alberto e Vitão.

No segundo, foi escalado com Jori; Thalys (Joseph), Rodolfo, Heitor e Carlos Junio; Matheus Santos, Lucas Gabriel e Gustavinho; Ighor Gabryel (Sabino), Kawê (Ighor Gabryel) e Goldeson.