A temporada 2020/21 não vem sendo muito positiva para o lateral-direito Guga. Pelo menos não no quesito evolução em termos ofensivos – embora também haja muitas críticas destinadas a ele defensivamente falando. Considerado um ala que apoiava com qualidade nos tempos de Avaí, o jogador teve uma queda de rendimento nesse sentido em sua trajetória pelo Atlético.

Restando duas partidas para o fim do Brasileirão – Sport, neste sábado (20), e Palmeiras, na quinta-feira (25) –, o camisa 2 do Galo tem suas últimas chances para tentar igualar seu desempenho como garçom da edição 2019, quando deu quatro passes a gol. Caso não dê uma assistência sequer, terá somente uma computada, ou seja, um rendimento quatro vezes menor em relação à Série A anterior.

Na competição de 2019, Guga serviu Chará em um dos tentos da vitória por 2 a 1 sobre o Vasco, Nathan e Jair nos 2 a 1 para cima do Ceará, e novamente Nathan no empate em 1 a 1 com o Palmeiras. Todos esses duelos aconteceram fora de casa.

Já no torneio atual, colaborou com apenas um passe a gol, para Hyoran, na virada de 3 a 2 ante o Corinthians, no Mineirão. É a mesma quantidade de assistências de Mariano no campeonato (para Keno nos 4 a 3 diante do Atlético-GO, em Goiânia).

E olha que na edição 2020 Guga fez mais partidas (30 no total) do que na de 2019 (17).

Dar três assistências em dois jogos igualaria o número dele do último Brasileiro, mesmo que proporcionalmente tenha havido uma piora.

Atlético