Quando tudo se encaminhava para a prorrogação, em um jogo marcado mais pelos lances truncados do que pelo futebol-arte, eis que Breno Lopes subiu mais que todo mundo para colocar o Palmeiras no topo da Libertadores. Após a arbitragem assinalar oito minutos de acréscimo na segunda etapa, o atacante recebeu de Rony na área e mandou para as redes aos 53, garantindo o 1 a 0 sobre o Santos, no Maracanã, neste sábado (30), e o bicampeonato do Verdão no torneio.

Pela segunda edição seguida, um clube brasileiro vence a competição sob o comando de um técnico português. Se em 2019 foi o Flamengo com Jorge Jesus, desta vez foi o Alviverde de Abel Ferrara. E quem canta e vibra na temporada 2020 é o Palmeiras.

Torcida

Apesar de os estádios brasileiros ainda não estarem aptos a receber torcidas nas competições nacionais, o duelo da Libertadores foi uma exceção. A Conmebol permitiu a entrada de convidados dos dois clubes para conferir à partida. Cerca de 2.500 torcedores tiveram a oportunidade de ocupar o setor oeste inferior do Maracanã para conferir ao confronto.

Durante o jogo, o sistema de som e os seguranças pediram aos presentes nas cadeiras do estádio que mantivessem a distância necessária entre eles e utilizassem máscaras. Mesmo assim, alguns não seguiram às recomendações.

PALMEIRAS 1 X 0 SANTOS

Motivo: Decisão da Copa Libertadores 2020
Data: 30/1/2021
Estádio: Maracanã
Cidade: Rio de Janeiro
Arbitragem: Patricio Loustau, auxiliado por Ezequiel Brailovxky e Diego Bonfa, todos da Argentina
VAR: Mauro Vigliano (Argentina)
Cartões amarelos: Gustavo Gómez, Viña, Marcos Rocha (Palmeiras); Lucas Veríssimo, Diego Pituca, Alison (Santos)
Cartão vermelho: Cuca (Santos)
Gols: Breno Lopes aos 53 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Viña; Danilo, Zé Rafael (Patrick de Paula), Gabriel Menino (Breno Lopes) e Raphael Veiga (Alan Empereur); Rony (Felipe Melo) e Luiz Adriano
Técnico: Abel Ferreira

SANTOS
John Victor; Pará (Bruno Marques), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wellington); Alison, Sandry (Lucas Braga) e Diego Pituca; Marinho, Kaio Jorge (Madson) e Soteldo
Técnico: Cuca

Palmeiras

Após faturar a Liberta em 1999, Palmeiras volta ao topo da América