No atual cenário do futebol brasileiro, a figura do diretor de futebol ganha cada vez mais importância. Na maioria dos casos, são esses executivos os principais responsáveis em formar o elenco dos times e fazer a gestão desse plantel no dia a dia.

Na atípica temporada do futebol brasileiro e mundial, em razão dos efeitos da pandemia pelo novo coronavírus, um profissional tem ganhado destaque no cenário nacional, com chances de um feito histórico.

Mineiro de Belo Horizonte, Paulo Bracks era o homem forte do futebol do América até dezembro do ano passado, quando aceitou uma proposta do Internacional.

Ao lado do presidente Marcus Salum e do técnico Lisca, foi figura essencial nos bastidores do Coelho, que faz grande temporada.

Com um elenco sem  nomes badalados,  o Alviverde fez grande campanha na Copa do Brasil, chegando às semifinais, e conquistou o acesso na Série B, competição que lidera e que pode se sagrar campeão amanhã.

Por falar em título, se o Inter, atual clube do diretor, mantiver a ponta da tabela, Bracks poderá alcançar a façanha de conquistar as Séries A e B do Campeonato Brasioleiro na mesma temporada.

Desde que foi apresentado no Colorado, em 5 de janeiro, Paulo Bracks viu o time ter 100% de aproveitamento, vencendo os cinco jogos que disputou no Brasileirão.

Somando as três partidas que o Inter havia vencido antes da chegada dele, são impressionantes oito triunfos consecutivos, que deram a liderança do torneio ao time comandado por Abel Braga.

Inimigo íntimo

Para vencer o principal campeonato do país com o Inter, Paulo Bracks terá que superar dois velhos conhecidos, que hoje aparecem com maior ameaça ao título do Colorado.

Na terceira colocação do Brasileiro, com 57 pontos, o Atlético, antigo rival de Paulo Bracks nos tempos de América, é o segundo time com mais chances de título, com 12,9% de possibilidades, de acordo com o Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Ainda segundo a UFMG, o Inter, líder com 62 pontos, e São Paulo, segundo colocado, com 58 pontos, têm 74,5% e 6,5% de probabilidade de levantar a taça, respectivamente.

À frente do futebol do Galo está Rodrigo Caetano, justamente o antecessor de Paulo Bracks no Internacional.

Poucos dias após deixar o clube gaúcho, Caetano acertou com o Alvinegro para substituir Alexandre Mattos, com a missão de, mesmo com pouco tempo de trabalho, ajudar o Atlético a quebrar o jejum de quase 50 anos sem o título do Campeonato Brasileiro.