Na instável campanha no Campeonato Brasileiro da Série B, o Cruzeiro tem se notabilizado por uma realidade que o acompanha desde o início do torneio: conseguir bons resultados contra times da parte de cima tabela e perder pontos para as equipes da segunda metade da classificação, especialmente no Mineirão.

As recentes vitórias fora de casa contra Chapecoense e América (líder e vice-líder do torneio), e os tropeços contra Guarani, Figueirense e Confiança, times que não figuram entre os postulantes ao acesso, dentro do Gigante da Pampulha, reforçam a oscilação da Raposa na competição.  

Tal cenário do time celeste possibilita que se crie uma alusão comum no futebol, com o personagem ingês Robin Hood, conhecido popularmente por "tirar dos ricos, para dar aos mais pobres". 

O último capítulo dessa incomum trajetória dos comandados de Felipão foi vitória por 2 a 1 sobre o América, nessa quarta-feira (2), que fez com que o Cruzeiro se reabilitasse na Série B e afastasse o risco de se aproximar da zona de rebaixamento do torneio.

Com 31 pontos, a Raposa ocupa a 15ª colocação, sete pontos à frente do Náutico, que abre o Z-4, e dez atrás do Juventude, última equipe dentro do grupo dos quatro primeiros que vão disputar à elite do futebol brasileiro em 2021.

"Mandante bonzinho"

Entretanto, para conseguir engatar uma sequência de vitórias, que o levaria à primeira parte da classificação, a Raposa precisa melhorar seu desempenho como mandante.

Entre as 20 equipes que disputam a Série B, o time celeste tem apenas o 16º melhor desempenho em seus domínios.

Nas 13 partidas que realizou no Mineirão, o Cruzeiro somou apenas 16 dos 39 pontos que estiveram em disputa.

As quatro vitórias, os quatro empates e as cinco derrotas dão um aproveitamento de 41% da Raposa em casa, à frente apenas de Naútico, Figueirense, Botafogo e Oeste, que há tempos formam a zona de rebaixamento da competição.

O que faz com que o time de Felipão não esteja no Z-4 é a boa campanha como visitante. Com seis vitórias, três empates e três derrotas, a Raposa é a terceira melhor no quesito, com um aproveitamento de 58,33% dos pontos, apenas atrás de Chapecoense e América.

Nesse cenário, o zagueiro Ramon destacou a necessidade de a equipe estrelada se impor no Mineirão, para tentar uma arrancada no torneio.

“Se a gente quer algo maior no campeonato, temos que parar de bobear quando jogamos no Mineirão. A gente joga fora de casa de um jeito e no Mineirão está pecando muito, perdendo muitos pontos. Temos que procurar vencer dentro de casa e dar sequência para que possamos conseguir os objetivos”, afirmou Ramon, em entrevista às mídias oficiais do Cruzeiro, após o triunfo sobre o Coelho.

No próximo sábado, o time comandado pelo técnico Felipão vai ter outra oportunidade de melhorar o desempenho no Mineirão.

Às 21h, a Raposa vai receber o Brasil-RS, no Gigante da Pampulha, em duelo da 26ª rodada do Brasileiro.