A surpreendente vitória do Cruzeiro (1 a 0) sobre a líder Chapecoense, na última terça-feira (24), na Arena Condá, em Chapecó, pela 23ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, evidenciou que o péssimo desempenho como mandante é uma barreira muito maior à briga pelo G-4 que os seis pontos perdidos por uma punição imposta pela Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa).

Até agora, a Raposa disputou 12 jogos, ou 36 pontos, no Mineirão. E conquistou apenas 16 deles. O aproveitamento de 44,44% faz do time apenas o 16º numa classificação levando em conta o desempenho dentro de casa.

Cruzeiro Figueirense Mineirão Série B 2020

O Cruzeiro já perdeu 20 pontos dentro do Mineirão nesta Série B do Campeonato Brasileiro, os dois últimos para o Figueirense, que ocupa a zona de rebaixamento da competição

Na classificação como visitantes, os cruzeirenses ocupam o quarto lugar, com 54,5% de aproveitamento, atrás apenas de Chapecoense, América e Sampaio Corrêa.
Já são 20 os pontos perdidos pelo Cruzeiro dentro do Gigante da Pampulha. Atualmente, a distância para o G-4 da Série B, grupo que garante vaga na Série A do ano que vem, está em nove.

O resultado em Chapecó torna desastrosos, por exemplo, os dois últimos tropeços dentro de casa, nas partidas anteriores à vitória na Arena Condá. Diante de concorrentes diretos da parte de baixo da tabela, o time de Luiz Felipe Scolari apenas empatou com Guarani (3 a 3) e Figueirense (1 a 1) na 21ª e 22ª rodadas, respectivamente.

Tivesse vencido paulistas e catarinenses, a distância cruzeirense para o G-4 seria atualmente de apenas cinco pontos, sendo que 45 ainda serão disputados nas 15 rodadas restantes da competição.

Projeção

A maior barreira ao sonho cruzeirense, que é ainda buscar o acesso à Série A nesta edição da Segundona, é a disparada de Chapecoense, América e Sampaio Corrêa. Os maranhenses ocupam a terceira colocação com 12 pontos a mais que a Raposa.

Assim, a briga fica praticamente restrita à quarta vaga. E o Cruzeiro tem 11 clubes à sua frente na classificação, pois ocupa apenas o 15º lugar.

Se tivesse vencido Guarani e Figueirense, por exemplo, dois tropeços dentro de casa com Felipão, além de estar a cinco pontos do G-4, já seria o nono colocado.

Pegando a campanha atual do Juventude, que é quarto colocado, com 53,6% de aproveitamento, e projetando para as 38 rodadas, 61 pontos seriam suficientes para um clube subir.

Como tem 28, o Cruzeiro para chegar a essa marca precisaria de 33 nos 45 que ainda disputa. Isso representa 73,3% de aproveitamento, marca superior a alcançada, por exemplo, pela líder Chapecoense (68,1%).

No ano passado, 62 pontos foram suficientes para o Atlético-GO garantir a quarta vaga, com o América, que somou 61, ficando na quinta colocação.

O número do acesso, levando em consideração a campanha do quarto colocado, muda mesmo a cada rodada, pelos resultados, mas dificilmente ficará distante de 62.

No caso cruzeirense, o que precisa mudar é o aproveitamento dentro do Mineirão, pois se não vencer os sete jogos que ainda disputa no Gigante da Pampulha nesta Série B, a começar pelo Confiança, na próxima sexta-feira (27), às 21h30, a tentativa de aproximação do G-4 seguirá apenas como sonho.