No momento ele está longe de ser uma unanimidade entre o torcedor cruzeirense, pela situação vivida em 2019, com o rebaixamento do clube à Série B do Campeonato Brasileiro, e também este ano, quando deixou a Toca da Raposa II para ir jogar no Fluminense, mas acabou retornando.

De toda forma, é impossível apagar o que o volante Henrique representa na história do Cruzeiro.

arte

Contratado pelo clube em 2008, ele participou das duas goleadas de 5 a 0 sobre o Atlético, nos jogos de ida das decisões do Campeonato Mineiro, do ano em que chegou ao clube e também na temporada seguinte.

Em 2011 foi negociado com o Santos, mas voltou em 2013 e mais um bicampeonato foi adicionado ao seu currículo azul.

Inicialmente reserva, ele acabou se tornando titular absoluto no time que conquistou o bicampeonato brasileiro em sequência em 2013 e 2014, igualando um feito que só o Internacional (1975 e 1976) tinha alcançado fora do chamado Eixo Rio-São Paulo.

Em 2017 e 2018, novo bicampeonato nacional em sequência do Cruzeiro teve Henrique como personagem.

A Raposa foi a primeira e única a ganhar duas edições seguidas da Copa do Brasil.

Henrique Cruzeiro Taça Copa do Brasil 2018Henrique e a Copa do Brasil de 2018, no bicampeonato do Cruzeiro na competição

E Henrique, o capitão daquela equipe, que tinha Mano Menezes como treinador, se transformou no primeiro jogador a erguer o troféu da competição por duas vezes consecutivas.

Em 2018 e 2019, Henrique garantiu o seu quarto bi com a camisa cruzeirense com a conquista do Campeonato Mineiro, sendo dele a tarefa de erguer as taças.

A FICHA DO CRAQUE

NOME: Henrique Pacheco Lima
NASCIMENTO: 16 de maio de 1985
LOCAL: Londrina (PR)
ESTREIA NO CRUZEIRO: 3 de abril de 2008 – Cruzeiro 3 x 1 San Lorenzo (Argentina) – Copa Libertadores - Ipatingão
PERÍODO NO CRUZEIRO: 2008 a 2011; 2013 a 2019; a partir de 2020
GOLS: 27
JOGOS: 524
TÍTULOS: Campeonato Mineiro (2008, 2009, 2011, 2014, 2018 e 2019); Campeonato Brasileiro (2013 e 2014); Copa do Brasil (2017 e 2018)
OUTROS CLUBES: Londrina, Figueirense, Jubilo Iwata (Japão), Santos e Fluminense