O Cruzeiro foi para o intervalo com a vantagem de um gol, de Willian, sobre o Vitória e voltou para o segundo tempo como tricampeão brasileiro. Isso porque, independentemente do que aconteceria nos 45 minutos finais, o time mineiro já havia garantido a taça, uma vez que o então vice Athletico-PR, derrotado para o Criciúma, numa partida que havia se iniciado antes do embate do Barradão, não mais poderia alcançar a Raposa em pontos. Com direito a aplausos de torcedores do Leão, os celestes comemoraram ‘brincando em campo’.

É verdade que Dinei tentou ofuscar um pouco a festa, ao empatar o jogo. Mas a partir daí a Raposa fez valer sua campanha impecável na competição.

Autor da assistência para o primeiro gol, Dagoberto também serviu Júlio Baptista no segundo tento. E coube a Ricardo Goulart, após passe de Willian, arrematar para as redes e garantir uma festa com quatro rodadas de antecedência e que seguiu noite afora em Minas, na Bahia e em vários outros lugares do Brasil e do mundo.

Cruzeiro

Naquele campeonato, o Cruzeiro colocou 11 pontos de vantagem sobre o vice, que acabou sendo o Grêmio (76 a 65), foi o time que mais venceu (23 vezes) e dono do melhor ataque (77 gols) e ainda teve o melhor jogador do Brasileirão, o meia Everton Ribeiro. Isso sem contar os cinco atletas que figuraram na seleção do torneio, em eleição do Prêmio Bola de Prata, da parceria envolvendo a Placar e a ESPN Brasil: o goleiro Fábio, o lateral-direito Mayke, o zagueiro Dedé, o volante Nilton e o próprio Everton Ribeiro.

VITÓRIA 1 X 3 CRUZEIRO

Vitória
Wilson; Ayrton (Pedro Oldoni), Victor Ramos, Kadu e Juan; Marcelo (Euller), Luís Cáceres, Renato Cajá (William Henrique) e Escudero; Marquinhos e Dinei
Técnico: Ney Franco

Cruzeiro
Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio (Everton); Leandro Guerreiro, Lucas Silva e Ricardo Goulart; Willian, Dagoberto (Tinga) e Borges (Júlio Baptista)
Técnico: Marcelo Oliveira

Data: 13/11/13
Estádio: Barradão
Cidade: Salvador
Motivo: 34ª rodada do Campeonato Brasileiro
Arbitragem: Paulo Henrique Godoy Bezerra, Carlos Berkenbrock e Neuza Inês Back, todos catarinenses
Público: 25.002 pagantes
Renda: R$ 361.447,00
Cartões amarelos: Juan, Victor Ramos e William Henrique (Vitória); Borges e Willian (Cruzeiro)
Gols: Willian aos 36 min do primeiro tempo; Dinei aos 5 minutos, Júlio Baptista aos 25 e Ricardo Goulart aos 35 do segundo tempo