Titular absoluto do Atlético comandado pelo técnico Jorge Sampaoli, o lateral-esquerdo Guilherme Arana figura entre os melhores da posição no país; e não é absurdo algum fazer tal afirmação, principalmente pelo desempenho do camisa 13 do Galo desde que retornou ao futebol brasileiro.

Feliz com o momento em que vive no alvinegro, vice-líder da Série A, Arana sentiu um pingo de frustração por não ter sido lembrado pelo técnico Tite na lista de convocação para os próximos desafios da Seleção na Eliminatória para a Copa de 2022.

"Eu tinha esperança de ser chamado. Acho que todos os jogadores precisam ter essa ambição, sonhar alto na carreira. Temos que pensar em seleção, em representar o nosso país. Não foi desta vez e vou seguir fazendo meu trabalho. Quem sabe um dia essa chance não aparece?", disse o lateral e 23 anos durante entrevista remota concedida nesta quarta-feira (23).

"Não me sinto referência, sou um cara sonhador e trabalhador, que almeja estar na seleção. Não acho que sou pior ou melhor do que ninguém. Acho que tenho feito um grande trabalho e vou trabalhar para que isso continue. As coisas vão acontecer naturalmente, se Deus quiser essa oportunidade vai aparecer de realizar meu sonho", finalizou.