"Acho que a prioridade agora é fazer tudo para manter a transmissão local baixa e sustentada para avaliar a volta às aulas. Acho que público nos estádios não deveria ser a prioridade e a centralidade do debate neste momento”. A afirmação é do infectologista Unaí Tupinambás, professor da Escola de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e integrante do Comitê de Enfrentamento à Covid criado pela Prefeitura de Belo Horizonte.

MineirãoInfectologista do Comitê de Enfrentamento à Covid, da PBH, acredita ser prioridade a volta às aulas, antes de se pensar em retorno dos torcedores aos estádios de futebol

Nesta terça-feira (22), o Ministério da Saúde deu parecer favorável ao protocolo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a volta gradual dos torcedores aos estádios.

A posição federal tem pouco valor. Isso porque as decisões sobre fechamento e abertura, no que se refere à pandemia, cabem aos municípios.

Por nota, a PBH afirmou: "A Secretaria Municipal de Saúde e o Comitê de Enfrentamento à Covid, neste momento, não autorizam o retorno das torcidas aos estádios em Belo Horizonte. A SMSA não recebeu qualquer notificação ou comunicado a este respeito e reafirma que essa decisão cabe ao município”.

Em 20 de agosto, em entrevista ao Hoje em Dia, Tupinambás afirmou que a volta às aulas presenciais só deveria acontecer quando o número de infectados estivesse, no máximo, na proporção de cinco para cada 100 mil habitantes.

O número atual, segundo o infectologista, é de 160 casos para cada 100 mil habitantes, número muito distante do que ele coloca como ideal para a volta dos alunos às escolas, que é um processo que está à frente do retorno dos torcedores ao Mineirão ou Independência.