A força mostrada pelo Atlético no mercado da bola, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, tem dado alegria aos torcedores e também gerado algumas brincadeiras nas redes sociais. Uma delas, endeusando o empresário Rubens Menin, parceiro que tem emprestado montante significativo ao clube. Uma outra, no mesmo viés, relaciona a chegada de reforços a um game que fez sucesso, principalmente, na década de 1990.

Considerado por muitos um dos mais viciantes jogos de todos os tempos, o Elifoot 98, devido à sua simplicidade e à desafiante capacidade de entretenimento, marcou época para muitos. Nele, cada jogador faz o papel de presidente e treinador de um clube, compra e vende atletas, gere as finanças e seleciona os jogadores para cada jogo. 

Além disso, as equipas dividem-se em divisões, onde cada temporada apresenta as competições da Liga, Taça Nacional e Taça Internacional. A primeira versão surgiu em 1987.

Entrevistado pelo Hoje em Dia, o português André Elias, criador do game, ficou feliz ao saber que sua obra ainda está na boca dos brasileiros. Para ele, é motivo de honra e satisfação.

"Quero mandar um abraço para Belo Horizonte e para todos os torcedores do Atlético Mineiro, que sempre que estão contratando algum jogador, se lembram dos velhos leilões do Elifoot 98", disse André, que é piloto de avião e torcedor do Benfica.

Em primeira mão, ele revelou que a versão 2020 (BETA) do game estará disponível nos próximos dias. "Fiquem atentos ao Facebook, ao Instagram e nas nossas outras redes sociais. Vai voltar o leilão, teremos novas posições e escalações do jogadores e outras muitas novidades", finalizou.

Até o momento, o Atlético anunciou seis reforços e ultrapassou a marca dos R$ 100 milhões para trazê-lo. São eles: Alan Franco, Léo Sena, Junior Alonso, Bueno, Marrony e Keno.

Assista o recado de André Elias aos atleticanos: